Início / Agricultura / Projecto Up4Rehab reconverte áreas com eucaliptais em montados de sobro
© Uliana de Castro/Palombar

Projecto Up4Rehab reconverte áreas com eucaliptais em montados de sobro

O projecto Up4Rehab – Unidade de Paisagem para o Restauro de Habitats de Algoso, da Palombar – Conservação da Natureza e do Património Rural, está a reconverter áreas com eucaliptais em florestas de sobreiros e azinheiras e a melhorar a conservação e a gestão do território e dos recursos naturais a ele associados, com vista a aumentar a resiliência do território face aos incêndios e às alterações climáticas.

Aprovado em Outubro de 2022, no âmbito deste projecto, foram já desenvolvidos vários planos para a gestão, actual e futura, da área de intervenção, localizada na freguesia de Algoso, no concelho de Vimioso (distrito de Bragança), no Nordeste Transmontano, e que também está integrada na Zona Especial de Conservação e Zona de Protecção Especial Rios Sabor e Maçãs da Rede Natura 2000, bem como na Reserva da Biosfera Transfronteiriça da Meseta Ibérica, refere fonte institucional da Palombar.

E adianta que foram elaborados, nomeadamente, um Plano de Intervenções de Conservação e Gestão dos Solos e dos Habitats, que compreende acções de beneficiação necessárias para reconversão de uma área de 64 ha de eucaliptal, para a gestão das manchas de matos mediterrânicos, para a recuperação de linhas de água e para a recuperação dos solos da área de intervenção (100 ha).

E também um Plano de Redução dos Risco de incêndios, no qual foram desenhadas as intervenções que permitem proteger 100 ha e reduzir o principal risco que afecta a área de intervenção e um Plano Integrado de Monitorizações, que inclui um conjunto de planos de monitorização da evolução da área de intervenção, nos tópicos da biodiversidade e dos solos.

Adicionalmente, foram implementadas várias acções de gestão e conservação dos solos e dos habitats, tendo sido realizadas intervenções de reconversão de eucaliptais para sobreirais e azinhais num total de 52 ha, através de gestão da vegetação espontânea, remoção de eucaliptos, aproveitamento da regeneração natural de sobreiros e azinheiras e sementeira e plantação de sobreiros e azinheiras; acções de gestão de manchas de matos mediterrânicos – foram geridos 22 ha de matos, através dos cortes em linhas alternadas e do aproveitamento da matéria retirada para a sua utilização na produção de composto orgânico -, e desenvolvidas medidas de recuperação de galerias ripícolas, nomeadamente acções de limpeza de vegetação, retirada de eucalipto e plantação e condução da regeneração natural em cerca de 3 ha. Implementaram-se ainda acções de redução dos riscos de incêndio em 26 ha.

Estação de Compostagem de Base Local

Foi também criada a Estação de Compostagem de Base Local (ECBL), para onde foram direccionados os resíduos da gestão de vegetação realizada na área de intervenção (matos) e misturados com matéria orgânica (estrume de gado asinino) para produzir composto que foi, depois, incorporado nos solos da área de intervenção. A ECBL foi monitorizada quanto aos teores de humidade e temperatura para garantir a formação de composto de qualidade, acrescenta a Palombar.

Este projecto, financiado pelo programa europeu Compete 2020 e iniciativa React-EU, tem como parceiros a Associação para o Estudo e Protecção do Gado Asinino, o Instituto Politécnico de Bragança, o Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto e o MORE – Laboratório Colaborativo Montanhas de Investigação.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Presidente da Confagri: “é urgente que Governo diga se vai revogar passagem das DRAP para as CCDR”

Partilhar              O presidente da Confagri – Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas, Idalino Leão, já esteve reunido …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.