Início / Mar / Ambiente / Projecto Eurocigua fez expedição às Selvagens para investigar ocorrência de ciguatoxinas

Projecto Eurocigua fez expedição às Selvagens para investigar ocorrência de ciguatoxinas

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As Ilhas Selvagens, na Madeira, receberam no âmbito do projecto Eurocigua uma expedição entre os dias 3 e 10 de Setembro, com o objectivo de investigar a ocorrência de ciguatoxinas na cadeia trófica marinha.

A expedição foi liderada pelo IPMA – Instituto Português do Mar e da Atmosfera, pela Direcção Regional de Pescas da Madeira, e o Parque Natural da Madeira (IFCN — Instituto das Florestas e Conservação da Natureza).

Filipe Andrade (DRP Madeira) após captura de sargo veado e peixe-cão na Selvagem Grande.

Neurotoxinas naturais muito potentes

As ciguatoxinas são neurotoxinas naturais muito potentes que podem afectar o Homem após o consumo de peixe contaminado. Apesar de endémicas de zonas tropicais como as Caraíbas ou a Polinésia, verificaram-se já casos de intoxicação na Europa, em particular na Madeira e Canárias, refere fonte institucional do IPMA.

Lia Godinho (IPMA) a observar Gambierdiscus spp.

O projecto Eurocigua, co-financiado pela Autoridade Europeia de Segurança Alimentar (EFSA) e coordenado pela Agência Espanhola de Segurança Alimentar (AECOSAN) e a ASAE, pretende actuar em 3 linhas: epidemiologia (que inclui a participação do INSA), caracterização ambiental (participação do IPMA e colaboração com a Direcção Regional de Pescas da Madeira e Parque Natural da Madeira -IFCN) e desenvolvimento de metodologias analíticas para detecção de ciguatoxinas em pescado (Universidade de Vigo e Laboratório Europeu de Referência para Biotoxinas Marinhas).

Hotspot da Ciguatera na Europa

“As Ilhas Selvagens parecem ser o hotspot da Ciguatera na Europa, há relatos de várias intoxicações quer na Madeira quer nas Canárias com peixe pescado nestas ilhas. As ciguatoxinas são produzidas por microalgas epifíticas (Gambierdiscus) e entram na cadeia trófica marinha através de peixes herbívoros, podendo atingir concentrações de risco para o homem em organismos do topo da cadeia alimentar marinha”, explica o IPMA.

A deslocação às ilhas Selvagens teve como grande objectivo a colheita de amostras de água para isolar e cultivar a microalga tóxica (Gambierdiscus spp), captura de peixe para posterior análise química (LCMSMS) e biológica (ensaios celulares) e purificação das ciguatoxinas.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

CoaClimateRisk avalia impactos das alterações climáticas nas culturas agrícolas no Vale do Côa

Partilhar            O CoaClimateRisk é o mais recente projecto de investigação, em que a ADVID — Associação …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.