Início / Agricultura / Programa “Emparcelar para Ordenar” apresentado amanhã em Castelo Branco. Subsídio não reembolsável para aquisição de prédios rústicos

Programa “Emparcelar para Ordenar” apresentado amanhã em Castelo Branco. Subsídio não reembolsável para aquisição de prédios rústicos

O programa de apoio ao emparcelamento rural designado de “Emparcelar para Ordenar”, criado a de 29 de Junho de 2020, pelo Decreto-Lei n.º 29/2020, vai ser apresentado amanhã, 14 de Dezembro, em Castelo Branco.

O “Emparcelar para Ordenar” prevê a criação de mecanismos financeiros destinados a promover as acções de emparcelamento rural simples, com a vista fomentar o aumento da dimensão física dos prédios rústicos em contexto de minifúndio e em territórios vulneráveis. O calendário para apresentação de candidaturas aos apoios para aquisição de prédio rústico será publicitado no sítio na Internet da DGADR — Direcção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural.

Na sessão de apresentação do programa, a partir das 14h15, na Praça do Município de Castelo Branco, vai estar o ministro do Ambiente e da Acção Climática, João Pedro Matos Fernandes, o secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Paulo Catarino, e a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes.

Emparcelar para Ordenar

Este programa de apoio ao emparcelamento rural tem como objectivo incentivar os proprietários a investir e a gerir as suas propriedades rústicas, fomentando o aumento da dimensão física dos prédios rústicos e, assim, aumentar a viabilidade e sustentabilidade económica das explorações, promover o ordenamento e gestão dessas mesmas áreas e, consequentemente, a resiliência dos territórios e a preservação e dinamização das actividades agroflorestais.

O Emparcelar para Ordenar inclui a criação de uma linha de crédito de apoio ao emparcelamento e a criação de um subsídio não reembolsável para aquisição de prédios rústicos. Estes apoios podem ser atribuídos cumulativamente. Este programa é financiado por verbas do Fundo Florestal Permanente (FFP).

Quanto ao subsídio não reembolsável para aquisição de prédios rústicos, determina o Decreto-Lei n.º 29/2020 que a aquisição de prédios rústicos destinada a acções de emparcelamento é apoiada, através de subsídio não reembolsável, até 25 % do montante fixado. A percentagem do subsídio é fixada pelo somatório das percentagens associadas às seguintes condições:

  • Emparcelamento para projecto de investimento agrícola ou florestal, apoiado por programas de incentivos públicos, de fundos nacionais ou comunitários — 15%;
  • Emparcelamento para projecto de investimento integrado numa acção integrada de gestão de paisagem — 15%:
  • Jovem agricultor ou jovem empresário rural — 10%;
  • Detentor do Estatuto da Agricultura Familiar — 10%;
  • Proprietário adquirente residente ou que tenha sede no concelho, ou em concelho limítrofe, da propriedade adquirida — 5%;
  • Aquisição para reconversão para fins agrícolas cujos proprietários sejam residentes ou tenham sede no concelho, ou em concelho limítrofe, da propriedade adquirida — 5%;
  • Emparcelamento associado a projecto relacionado com os objectivos específicos do Programa de Transformação da Paisagem do qual resulte criação efectiva de emprego — 5%.

Pode ler o pelo Decreto-Lei n.º 29/2020, que cria o “Emparcelar para Ordenar”, aqui.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Produtores apresentam projecto de promoção da Maçã de Alcobaça em mercados externos

Partilhar              A APMA – Associação dos Produtores de Maçã de Alcobaça vai apresentar amanhã, 3 de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.