Início / Agricultura / Programa de Sustentabilidade e Azeite do Alentejo termina primeira fase em Junho

Programa de Sustentabilidade e Azeite do Alentejo termina primeira fase em Junho

O Programa de Sustentabilidade e Azeite do Alentejo, liderado pela Olivum e desenvolvido em parceria com a Universidade de Évora, termina a primeira fase em Junho, e consiste na criação de um referencial de sustentabilidade que vai avaliar a produção de azeite em áreas como a gestão de recursos humanos, gestão de água, eficiência energética ou preservação do património.

A Olivum, Associação de Olivicultores e Lagares de Portugal, está a desenvolver, em conjunto com a Universidade de Évora, o Programa de Sustentabilidade do Azeite do Alentejo (PSAA). Esta iniciativa é dirigida aos produtores de azeitona e lagares do Alentejo e pretende dar resposta a desafios prementes do sector olivícola da região, através da promoção e reconhecimento das práticas sustentáveis, nas dimensões ambiental, social e económica.

O PSAA tem três fases de desenvolvimento e encontra-se actualmente na primeira fase, que será concluída até Junho, com a criação do referencial de produção sustentável, refere a Olivum em comunicado de imprensa.

O Programa de Sustentabilidade do Azeite do Alentejo é destinado a todos os associados da Olivum, mas não só. Qualquer produtor de azeite ou lagar poderá adoptar o PSAA. E o objectivo é que, no futuro, este programa possa ser alargado a outras regiões de Portugal e além-fronteiras

Com vista à criação desse referencial de sustentabilidade, as áreas de intervenção contempladas incluem a produção olivícola, gestão dos recursos humanos, gestão da rega, eficiência energética, gestão de resíduos e subprodutos, gestão de doenças e pragas, qualidade do ar, qualidade do azeite, neutralidade carbónica, embalagens e componentes, desenvolvimento regional e socio-economia, património cultural e gestão da paisagem, da biodiversidade e ecossistemas.

Plataforma de auto-avaliação

A primeira fase do PSAA culmina com a criação de uma plataforma de auto-avaliação que permite ao produtor avaliar e garantir através de critérios objectivos e parametrizados a sustentabilidade da sua produção, adianta o mesmo comunicado.

“O grupo piloto, que se pretendeu mais restrito por razões de eficiência, é composto por 20 membros, que representam 24.746 hectares de olival e 12 lagares com uma capacidade de processar 20 mil toneladas de azeitona/dia e que representam 10 marcas de azeite do Alentejo. Porém, desde o arranque do Programa de Sustentabilidade do Azeite do Alentejo, em Março de 2022, já houve várias manifestação de intenção de aderir ao programa”, adianta a Associação.

Na terceira e última fase do PSAA pretende-se desenvolver um quadro de referência alargado para todo o sector do azeite alentejano e atribuir um selo do PSAA aos produtos certificados.

O Programa de Sustentabilidade do Azeite do Alentejo é destinado a todos os associados da Olivum, mas não só. Qualquer produtor de azeite ou lagar poderá adoptar o PSAA. E o objectivo é que, no futuro, este programa possa ser alargado a outras regiões de Portugal e além-fronteiras.

A Olivum já reuniu com o Ministério da Agricultura para apresentar o PSAA e, mais recentemente, esteve na Comissão de Agricultura, na Assembleia da República, para apresentar o programa aos deputados.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Oceanário de Lisboa tem bilhetes com 50% de desconto em semana de aniversário

Partilhar              O Oceanário de Lisboa, para assinalar o seu 26.º aniversário, traz a sua mascote Vasco, …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.