Início / Agricultura / Produtividade da cereja da Cova da Beira cai 25% devido às condições meteorológicas

Produtividade da cereja da Cova da Beira cai 25% devido às condições meteorológicas

As condições de desenvolvimento da cereja foram distintas nas principais regiões produtoras. No Ribadouro os pomares apresentam um bom aspecto vegetativo e os frutos grande qualidade, devendo a produtividade ser idêntica à da campanha passada.

Em contrapartida, referem as previsões agrícolas do Instituto Nacional de Estatística (INE), em 31 de Maio, na Cova da Beira as geadas tardias e as baixas temperaturas nocturnas de Abril provocaram alguma queda de frutos e um atraso no desenvolvimento vegetativo, prevendo-se um decréscimo de produtividade de 25%.

A existência de muitas variedades de cerejeiras com diferentes épocas de colheita e o facto de se tratar de um fruto muito susceptível às condições meteorológicas podem ainda alterar a estimativa global de quebra, que deverá rondar os 15% face a 2021, acrescentam os técnicos do INE.

Pomares de pessegueiros com quebras de produtividade

Por outro lado, diz o INE que os pomares de pessegueiros foram afectados durante a floração por precipitação, baixas temperaturas nocturnas e formação de geadas que prejudicaram a polinização e atrasaram o desenvolvimento vegetativo, contribuindo, juntamente com os ventos fortes de Abril, para a queda fisiológica dos pequenos frutos, cujo desenvolvimento aparentava um vigamento consolidado, prevendo-se assim um decréscimo de produtividade de 10%.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Cotações – Cereais – Informação Semanal – 13 a 19 Junho 2022

Partilhar              Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas Cereais Outono-Inverno Esta semana foi dada …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.