Início / Agricultura / Produção de azeite cai 31% na campanha 2016-2017 para 75,2 mil toneladas

Produção de azeite cai 31% na campanha 2016-2017 para 75,2 mil toneladas

O GPP – Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral estima que a produção nacional de azeite tenha caído 31% na campanha 2016-2017, relativamente à campanha anterior, cifrando-se em cerca de 75,2 mil toneladas. É este o resultado do”Inquérito aos Lagares de Azeite na Campanha 2016-2017″.

Os resultados do inquérito reportam-se a uma amostra de 158 lagares, que representaram 90% da produção total nacional nas últimas campanhas. A diminuição na produção resultou, essencialmente, da irregularidade meteorológica ao longo do ciclo olivícola.

“Extrapolando o volume de azeite extraído pelos 158 lagares da amostra, para a totalidade dos lagares em laboração no País, estimamos que, na campanha 2016-2017, a produção nacional de azeite tenha sido de 75,2 mil toneladas”, diz aquele organismo tutelado pelo Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.

Este volume de produção traduz um decréscimo de 31% em relação à produção da campanha 2015-2016 (109,1 mil toneladas), que tinha sido a mais elevada das últimas 100 campanhas, mas apenas uma diminuição de 2 % relativamente à produção média das últimas 6 campanhas (76,7 mil toneladas).

Além da irregularidade meteorológica, o ano olivícola foi de contra-safra nos olivais de sequeiro. “Estes factores provocaram quebra na quantidade total de azeitona produzida e atraso na respectiva maturação e colheita, com diminuição do rendimento médio da mesma, em relação à campanha anterior: a quantidade de azeitona laborada nos lagares diminuiu cerca de 27% e o seu rendimento médio em azeite diminuiu 6%, passando de 15,2% para 14,4%”, explica o relatório do GPP.

Alentejo produz 75% do azeite nacional

Por regiões, o Alentejo foi responsável por cerca de 75% da produção nacional de azeite. A região Norte registou o mais alto rendimento da azeitona laborada (16%) e a menor diminuição no volume de azeite produzido (-16,5%), em relação à campanha anterior.

Os técnicos do GPP adiantam que o atraso verificado na colheita da azeitona afectou a distribuição da produção pelos 4 meses da campanha de laboração dos lagares (Outubro – Janeiro): no mês de Novembro produziu-se apenas 35% do total (46% na campanha 2015-2016) e o mês de Dezembro concentrou 53% do total produzido (36% na campanha 2015-2016). A produção em Janeiro passou de 4% para 8% do total.

Por outro lado, os resultados do inquérito aos industriais de azeitona de mesa na campanha 2016-2017 permitem ao GPP estimar, para esta campanha, um volume de produção de azeitona para conserva a rondar as 23,7 mil toneladas, o que representa um aumento de 14% (+2,9 mil toneladas), relativamente à campanha anterior.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

PS Açores acusa Governo Regional de falhas na gestão das quotas pesqueiras

Partilhar              O Partidos Socialista (PS) dos Açores entregou um requerimento ao Governo Regional dos Açores, intitulado …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.