Início / Agricultura / Portugueses detêm apenas 40,6% do investimento na cultura da amêndoa no perímetro de rega de Alqueva

Portugueses detêm apenas 40,6% do investimento na cultura da amêndoa no perímetro de rega de Alqueva

O investimento português é o principal responsável pela área de amendoal — muito associado a investidores em olival — em Alqueva. Mas os portugueses detêm apenas 40,56% do investimento no EFMA — Empreendimento de Fins Múltiplos do Alqueva. Seguem-se os espanhóis com 33,7%, os Estados Unidos da América com 12,18% e a Inglaterra com 5,6%.

Os dados, de 2023, são divulgados no Anuário Agrícola de Alqueva de 2023, elaborado pela EDIA – Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva, no qual a Portugal Nuts – Associação de Promoção de Frutos Secos dá o seu testemunho prevendo “uma produção total perto de 8.000t de miolo, superior à do ano anterior, suportada pela maturidade das plantações e do efeito de entrada em produção de novas áreas”.

Adianta ainda a Portugal Nuts que “num ano com as dificuldades decorrentes da reduzida precipitação e das dotações autorizadas, o amendoal em produção apresentou alguns desafios de gestão. As características do ano agronómico levam a que as amêndoas tenham sido mais pequenas e com menor peso específico do que em anos anteriores”.

“Economicamente, os produtores viram as suas margens mais comprimidas, devido a preços historicamente baixos e a um ano em que as limitações acima enunciadas que limitaram o potencial produtivo”, acrescenta a Associação.

Por outro lado, o Anuário Agrícola de Alqueva de 2023 salienta a inauguração, no início do ano de 2017, pela Migdalo de uma fábrica de transformação e comercialização de amêndoa, nozes e avelãs, no concelho de Ferreira do Alentejo. A Migdalo pretende laborar com produção própria, e prestar serviços ao número crescente de produtores de amêndoa na região.

Por outro lado, foi inaugurado em 2021, uma unidade industrial na região de São Manços, pertencente ao grupo Ortigão Costa, que labora nozes e amêndoas.

E a empresa De Prado, um player do mercado do azeite e a crescer no mercado da amêndoa, fez recentemente investimentos na instalação de uma fábrica de descasque e processamento de amêndoa. A matéria-prima é proveniente dos mais de 5.000 ha que já tem plantados, sendo que, existe a intensão de continuar a expandir a área de amendoal.

Consulte o Anuário Agrícola de Alqueva de 2023 aqui.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Já são conhecidos os vencedores do Prémio Nacional de Enoturismo 2024

Partilhar              A gala da terceira edição do Prémio Nacional de Enoturismo Apeno/Ageas Seguros 2024, considerado o …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.