Início / Mar / Ambiente / Portuguesa distinguida com estudo sobre acidificação dos oceanos

Portuguesa distinguida com estudo sobre acidificação dos oceanos

A investigadora do MARE, ISPA – Instituto Universitário, Ana Maria, foi uma das três cientistas portuguesas distinguidas na 12ª edição das Medalhas de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência.

Todos os anos o programa Medalhas de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência, uma parceria da L’Oréal Portugal, Comissão Nacional da UNESCO e Fundação para a Ciência e a Tecnologia, incentiva jovens investigadoras que efectuam a sua pesquisa em Portugal, já doutoradas e com idade até 35 anos, a prosseguir estudos originais e relevantes para a saúde e o ambiente. Este ano Ana Faria, do MARE, ISPA-Instituto Universitário, foi uma das distinguidas, fruto da sua investigação sobre da sua investigação sobre a acidificação dos oceanos.

A cientista vai estudar de que forma os peixes do litoral português estão a ser afectados pelo aumento da acidez da água do oceano, uma consequência do aumento de níveis de CO2, que já se provou ter efeitos nefastos no ecossistema marinho, pondo em perigo a sustentabilidade dos peixes marinhos, um recurso essencial à humanidade.

Um dos objectivos da investigação é responder à questão: quais as consequências da acidificação das águas dos oceanos, provocada pelo aumento de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera, no equilíbrio dos ecossistemas marinhos e, em particular, na vida e sustentabilidade dos peixes do litoral português?

Avaliar exposição dos peixes adultos

Sobre o tema Ana Faria refere que “estudos recentes, com espécies tropicais, revelam que a exposição a elevados níveis de CO2, durante a fase larvar dos peixes, provoca perturbações de comportamento e desenvolvimento, tornando-os, por exemplo, mais susceptíveis a ataques de predadores”. O que não invalida a adaptação dos peixes a um ambiente acidificado. O estudo levado a cabo pela investigadora do MARE pretende avaliar de que forma a exposição de peixes adultos, de espécies típicas do litoral português, a condições de acidificação poderá conferir alguma vantagem no desenvolvimento e comportamento da sua descendência.

Após doutorar-se na área de Ecologia Marinha, na Universidade do Algarve (2010), Ana Faria iniciou a sua investigação de pós-doutoramento no MARE, ISPA – Instituto Universitário. É aqui que se mantém actualmente, onde a par da investigação é também docente na Licenciatura em Biologia e no Mestrado de Biologia Marinha e Conservação.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Balanças Marques faz balanço positivo de presença em feira no Egipto

Partilhar              A Balanças Marques foi uma das 5 empresas portuguesas a participar, conjuntamente com a Associação …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.