Início / Agricultura / Politécnico de Coimbra lidera projecto vegan na área da indústria alimentar

Politécnico de Coimbra lidera projecto vegan na área da indústria alimentar

O Politécnico de Coimbra (IPC) lidera o projecto de formação de competências, que inicia este ano, para responder aos desafios colocados à indústria alimentar, face ao crescimento do interesse do consumidor em produtos vegetais. O EqVegan é uma Aliança de Competências Sectoriais composta por 15 instituições com diversos perfis de 11 países que pretende aumentar a competitividade das indústria agroalimentar nos produtos vegan.

O projecto destina-se a estudantes e profissionais do sector e é um dos seis projectos a nível europeu com candidatura aprovada ao financiamento “Alianças de Competências Sectoriais” no valor de um milhão de euros.

Segundo Rui Costa, investigador do IPC e coordenador responsável pelo EqVegan, o projecto visa responder às alterações registadas na indústria alimentar, face a mudanças de hábitos no consumidor “que procura cada vez mais dietas à base de vegetais, com realce para o crescente número de consumidores vegan, que para manter a competitividade precisa dominar novos processos e tecnologias”.

Requisitos de sustentabilidade cada vez mais exigentes

Para além disso, a indústria encontra-se sujeita a requisitos de sustentabilidade cada vez mais exigentes, o que cria maiores necessidades em termos de competências dos seus trabalhadores assinalando a “importância de uma formação adequada e adaptada à nova realidade do mercado”, assegura o investigador.

Por sua vez, Maria João Cardoso, pró-presidente do IPC para as Relações Internacionais, destaca o “crescente interesse e empenho” dos docentes e investigadores do Politécnico de Coimbra pelos projectos de cooperação no quadro do Programa Erasmus+, afirmando que “a coordenação de um projecto desta envergadura, em ambiente extremamente competitivo como são as candidaturas europeias, traduz a elevada qualidade do trabalho desenvolvido a nível internacional pelos nossos docentes”, referindo-se a 10 projectos de inovação e cooperação aprovados desde 2018, em áreas diversas com participação e/ou coordenação do IPC, cujo valor global de financiamento Erasmus+ ascende a mais de 9 milhões de euros.

Projecto tem a duração de três anos

O projecto tem a duração de três anos, com início a 1 de Dezembro de 2020 e final a 30 de Novembro de 2023, e oferece formação inovadora em sete idiomas: inglês, croata, finlandês, francês, polaco, português e turco.

O consórcio cobre as competências necessárias para conceber uma formação inovadora e altamente qualificada, permitindo uma requalificação e conversão de competências de acordo com as necessidades do mercado da alimentação através de um esquema europeu de certificação de perfis de trabalho, promovendo a mobilidade transnacional dos profissionais.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 more

Verifique também

Produtores de leite da Póvoa de Varzim em risco de falência pedem para serem pagos ao preço mínimo de 38 cêntimos/litro

Partilhar             more  Caso não exista um aumento do preço do leite a breve prazo, toda a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.