Início / Agricultura / Plano de Recuperação tem 171 milhões de euros para construção da Barragem do Pisão

Plano de Recuperação tem 171 milhões de euros para construção da Barragem do Pisão

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Plano de Recuperação e Resiliência entregue pelo Governo à União Europeia tem inscrita uma verba de 171 milhões de euros para a construção do Aproveitamento Hidroagrícola de Fins Múltiplos do Crato (Barragem do Pisão).

De acordo com o documento, ainda preliminar, a Barragem do Pisão “permite garantir uma reserva estratégica de água que poderá constituir uma alternativa de abastecimento público [às populações do Distrito de Portalegre] e permitir o estabelecimento de novas áreas de regadio”.

O Governo pretende ainda associar a esta intervenção “um sistema de resposta integrada exigido por situações de risco, em particular para enfrentar situações de seca extrema e para reduzir a probabilidade de ocorrência de cheias”.

Recorde-se que o Governo determinou a 7 de Junho de 2019 o início dos trabalhos com vista à concretização do empreendimento de fins múltiplos “Barragem do Pisão”, que vai aproveitar as águas da Ribeira de Seda, no Alto Alentejo. E a entidade gestora do PDR 2020 — Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 disponibilizou 700 mil euros para o arranque dos estudos da barragem.

Central fotovoltaica de 150 megawatts

A Câmara Municipal do Crato, realça que este projecto “garante a construção de uma central fotovoltaica de 150 megawatts flutuante com a instalação dos painéis no espelho de água da albufeira com produção útil acima dos 250 gigawatts hora anuais” e poderá ser complementada por “um circuito hidroeléctrico reversível com potência instalada significativa, criando também ao nível da energia uma reserva estratégica armazenando energia sob a forma de água na albufeira da barragem pronta a entrar na rede através, também, da produção hidroeléctrica”, segundo as conclusões do grupo de trabalho criado pelo Governo para analisar a viabilidade técnico-financeira deste empreendimento.

Além destas mais-valias apontadas é destacado o seu potencial para “aproveitamento turístico, através da diversificação de oferta num território caracterizado pela riqueza ambiental, patrimonial e cultural” possibilitando a criação de um espelho de água de dimensões consideráveis e com zonas morfologicamente diferentes de caracter turístico, lúdico e recreativo.

Segundo as palavras do presidente da Câmara Municipal do Crato, Joaquim Diogo, “este passo vem retirar todas as dúvidas sobre a concretização da barragem porque, neste momento, além da vontade política está em marcha a dotação financeira para a execução da obra até 2025”.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Associação de Bebidas Espirituosas defende fim da proibição de venda de bebidas alcoólicas a partir das 20h00

Partilhar            A Anebe – Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas diz continuar “empenhada em contribuir …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.