Início / Agricultura / A pensar na ProWein, Aicep lança apontamentos sobre mercado de vinhos alemão

A pensar na ProWein, Aicep lança apontamentos sobre mercado de vinhos alemão

A Aicep – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal acaba de lançar um “Breve Apontamento” sobre o mercado de vinhos na Alemanha, que espera “seja de utilidade quer para as mais de 300 empresas e entidades portuguesas que estarão presentes na próxima edição da ProWein, quer para os demais agentes económicos do sector”.

No documento pode encontrar-se uma caracterização do mercado, com destaque para as questões relacionadas com a dimensão, relações comerciais internacionais, países fornecedores, distribuição, consumo e outra informação económica e de carácter prático sobre o sector dos vinhos na Alemanha.

Os técnicos da Aicep referem que, em 2016, as importações alemãs de vinhos portugueses aumentaram 16,4% em valor e 21,2% em volume, o maior crescimento entre os principais fornecedores do mercado e um dos mais significativos dos últimos 15 anos. Este crescimento assume especial relevância, porque ocorre num quadro de retracção das importações alemãs de vinhos que, face a 2015, baixaram 0,8% em valor e 3,3% em volume.

Com uma população próxima de 82 milhões de habitantes, o país consumiu, em 2015, mais de 20 milhões de hectolitros de vinho e afirma-se como um importante destino para os nossos vinhos. A Alemanha é o único grande mercado produtor com escala que oferece vastas possibilidades para a venda de vinhos estrangeiros. Em 2015, foi o quarto maior mercado consumidor de vinho, o maior importador mundial em volume e o terceiro em valor.

Importância do retalho especializado

O hard discount e as grandes cadeias do retalho alimentar, continuam a responder pela maior parcela do vinho vendido na Alemanha, com uma tendência para o alargamento da oferta a vinhos de maior qualidade e de engarrafadores ou de quintas com boa reputação. “Todavia, algumas análises de mercado evidenciam a importância do retalho especializado, canal em que os vinhos portugueses estão melhor posicionados”, adianta a Aicep.

O vinho biológico representa uma parte relativamente importante da oferta de vinhos no retalho alimentar e nos estabelecimentos especializados em produtos bio e está, também, a ganhar importância no mercado, com alguns distribuidores a aumentarem o seu portfólio.

O documento pode ser consultado aqui.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Empresa belga procura fabricante especializado em mobiliário feito com madeira maciça

Partilhar              Uma empresa belga de design de interiores procura um fabricante especializado em mobiliário feito com …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.