Início / Agricultura / PDR 2020 tem 2 M€ para apoio à prevenção da propagação da Xylella fastidiosa

PDR 2020 tem 2 M€ para apoio à prevenção da propagação da Xylella fastidiosa

A Autoridade Gestora do PDR 2020 – Programa de Desenvolvimento Rural tem abertas desde hoje, 10 de Novembro, até às 17 horas de 10 de Janeiro de 2023, as candidaturas para apoio à prevenção da propagação da bactéria Xylella fastidiosa, abrangendo viveiros de produção de plantas de espécies ornamentais, fruteiras e de videira que se encontrem em actividade, conhecidos como mais susceptíveis a esta praga.

A dotação orçamental total do aviso é de 2 milhões de euros e destina-se a todo o território do continente.

“Estamos empenhados em apoiar o sector na resposta a desafios que ameaçam a viabilidade das explorações e o rendimento dos agricultores. Este sector é essencial na gestão activa, coesa e sustentável do território. Por isso, vamos continuar a trabalhar para assegurar as melhores condições ao seu desenvolvimento, procurando robustecer, com conhecimento e inovação, as respostas a ameaças como esta”, sublinha a ministra da Agricultura e da Alimentação, Maria do Céu Antunes.

Esta medida tem como objectivo o reforço da viabilidade dos viveiros agrícolas existentes, assegurar a compatibilidade dos investimentos com as normas de prevenção, protecção e controlo fitossanitário em vigor, apoiando ainda a produção de plantas das espécies susceptíveis à Xylella fastidiosa em local com protecção física completa contra os insectos vectores desta bactéria.

Objectivos

Segundo o Anúncio N.º 3/Acção 6.2.1/2022, da Operação 6.2.1 – Prevenção de Calamidades e Catástrofes Naturais (3º Anúncio) | Xylella fastidiosa, a tipologia de intervenção a apoiar respeita a investimentos em viveiros para a produção de plantas de espécies ornamentais, fruteiras e de videira conhecidas como susceptíveis à Xylella fastidiosa, que se encontrem em actividade, e cujo valor total de investimento elegível, apurado em sede de análise, seja superior a 5.000 euros.

As candidaturas apresentadas devem reforçar a viabilidade dos viveiros agrícolas existentes, promovendo a inovação, a capacitação organizacional e a reconversão das empresas e preservar e melhorar o ambiente, assegurando a compatibilidade dos investimentos com as normas de prevenção, protecção e controlo fitossanitário em vigor.

Por outro lado, devem produzir plantas das espécies susceptíveis à Xylella fastidiosa em local com protecção física completa contra os insectos vectores desta bactéria e promover a utilização do tratamento por água quente das plantas vitícolas.

Candidaturas

As candidaturas são submetidas através de formulário electrónico disponível no sítio no portal do Portugal 2020 (aqui), ou do PDR 2020 (aqui), e estão sujeitos a confirmação por via electrónica a efectuar pela autoridade de gestão.

Pode ler o Anúncio da Operação aqui.

Xylella fastidiosa

Refere o Anúncio da Operação que a bactéria Xylella fastidiosa afecta um elevado número de espécies de plantas na América do Norte, América do Sul e Ásia. Na Europa, em 2013, foi confirmada a presença da bactéria no Sul de Itália, onde tem devastado uma extensa área de olival e afectado diversas ornamentais.

Desde 2015, têm sido detectadas diferentes subespécies da bactéria em França, Espanha e Itália em diversas ornamentais e em culturas importantes tais como oliveira, amendoeira, figueira e videira. Após a confirmação a 3 de Janeiro de 2019 da presença da bactéria Xylella fastidiosa em território português, todo o País é considerado de alto risco face à existência de insectos vectores, por haver um elevado número de espécies vegetais susceptíveis e condições climáticas propícias ao desenvolvimento da bactéria.

Assim, adianta o mesmo documento, importa actuar de forma preventiva na propagação da bactéria, designadamente apoiando os viveiristas nacionais para se dotarem de estruturas de protecção contra os insectos vectores da doença, dado que, a produção de plantas susceptíveis à bactéria ficará inviabilizada nos locais afectados, caso não existam essas estruturas.

E salienta que, no caso das plantas vitícolas será admissível preconizar o apoio a sistemas de tratamento por água quente, tratamento reconhecido como eficaz contra esta doença.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

CAP promove debate sobre Planos de Gestão de Região Hidrográfica 2022-2027

Partilhar              A CAP — Confederação dos Agricultores de Portugal promove no auditório da sua sede, em …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.