Início / Mar / Construção Naval / PCP pede ao Governo avaliação da privatização dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo

PCP pede ao Governo avaliação da privatização dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo

O Grupo Parlamentar do Partido Comunista Português (PCP) quer saber que avaliação faz o ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva, do processo de privatização dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo e qual o nível de emprego actualmente existente naqueles estaleiros .

Em perguntas enviadas ao ministro da Economia e do Mar, o deputado comunista Bruno Dias pretende ainda saber que medidas vai o Governo “tomar para que os compromissos assumidos aquando da privatização dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo sejam cumpridos”.

Explica aquele deputado, no documento entregue na Assembleia da República, que “a privatização dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo foi um erro, para a região e para o País, que sempre mereceu a oposição, intervenção e luta por parte do PCP. Aquando da privatização, o PCP afirmou que tal opção “ataca e destrói a economia regional e nacional, os direitos dos trabalhadores, os postos de trabalho e o presente e o futuro de Viana do Castelo”. Infelizmente a realidade veio dar razão ao PCP”.

E adianta que “além de aumentar a nossa dependência externa, uma vez que os estaleiros navais estão neste momento a fazer, essencialmente, reparações de navios, os níveis de emprego então prometidos não só não se concretizaram, como a qualidade do mesmo suscita grande preocupação”, realçando que “aquando da privatização, responsáveis políticos e beneficiários da privatização do património público, anunciaram a contratação de 400 trabalhadores em Viana do Castelo”.

No entanto, diz o deputado comunista que “passados cerca de oito anos, tais níveis de contratação não se verificaram, uma vez que apenas foram contratados 300 trabalhadores para o conjunto dos estaleiros de Viana do Castelo e Aveiro. Por outro lado, os privados usam e abusam de subcontratações que tornaram o emprego precário”.

Assim, “a West Sea não contratou os 400 trabalhadores prometidos e neste momento apenas “produz” reparações de navios pelo que os compromissos e a ideia de que a privatização resolveria os problemas dos estaleiros navais de Viana do Castelo, não se verificaram como sempre alertou o PCP”, frisa Bruno Dias.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Syngenta amplia centros de inovação de sementes hortícolas em Almeria e Múrcia

Partilhar              A Syngenta inaugurou hoje, 17 de Fevereiro, as instalações renovadas dos seus centros de I+D …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.