Início / Agricultura / Ovibeja. Monte do Pasto junta 200 pessoas a debaterem marcas e inovação na agropecuária

Ovibeja. Monte do Pasto junta 200 pessoas a debaterem marcas e inovação na agropecuária

O Monte do Pasto realizou esta quinta-feira, 27 de Abril, na39ª Ovibeja — uma organização da ACOS – Associação de Agricultores do Sul, que se realiza em Beja até 1 de Maio —, a Conferência ‘Marcas e Inovação na Agropecuária – Diálogos Sustentáveis’, contando com cerca de 200 participantes. “Portugal tem produtos de altíssima qualidade. Devemos vender mais caro e a menos pessoas pela valorização das nossas marcas e origem”, defenderam os especialistas na conferência do Monte do Pasto.

“O que produzimos deve ser repercutido em valor”, foi a tónica central na conferência ‘Marcas e Inovação na Agropecuária – Diálogos Sustentáveis’, promovida pelo Grupo Monte do Pasto, líder na criação de bovinos em Portugal, e que decorreu esta quinta-feira, 27 de Abril, no âmbito da 39ª Ovibeja – Comunicar, Um Grande Desafio para a Agricultura. No final do debate, os quase 200 participantes foram brindados com um show cooking à base de carne True Born pelo chef Pedro Sommer.

“Num período profundamente desafiante, o Mundo é forçado a repensar o seu futuro. E como em todos os períodos de crise, ruptura, mudança, surgem oportunidades que devemos aproveitar, enquanto sector e País: a origem, a autenticidade, a identidade, a elevada qualidade dos produtos agroalimentares portugueses  (…) e valores como a dieta mediterrânea, a redução do desperdício, a economia circular, a agricultura como potenciador de valor, o aproveitamento da cada vez mais intensa inovação tecnológica sendo disso um exemplo a dupla utilização de terrenos agrícolas como catalisador ambiental e instrumento de valorização da terra”, afirmou Clara Moura Guedes, CEO do Monte do Pasto.

Para António Trindade, presidente do conselho de administração da CESL ASIA, accionista da Monte do Pasto, “vivemos num mundo onde o conhecimento está facilmente disponível, ao alcance de todos. Investir em práticas sustentáveis, criar impacto positivo para o nosso ambiente e as nossas comunidades, proporciona maior retorno financeiro, e, como tal, não é apenas a coisa certa a fazer, é uma estratégia financeiramente inteligente. É assim que prosseguimos os nossos investimentos em Portugal, nas energias renováveis e em agricultura sustentável, empenhados em contribuir para a segurança alimentar e energética e a transição para uma economia de baixo impacto, que contribua para uma maior qualidade de vida das nossas comunidades”.

Comunicação

No primeiro painel, dedicado ao binómio comunicação vs. valor na indústria agropecuária e que colocou frente a frente dois debatentes improváveis, Guta Moura Guedes, co-fundadora e chairwoman da Experimenta, e Eduardo Diniz, director Geral do Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral (GPP) do Ministério da Agricultura, tendo como ponto de partida o Primeira Pedra, projecto disruptivo de valorização, comunicação e internacionalização que transformou a cadeia de valor da indústria portuguesa da pedra, ficou patente que “na pedra ou no agropecuário, somos um pouco os subempreiteiros das marcas internacionais. Importa valorizarmos o país extraordinário que temos, a nossa qualidade e identidade. Falta apenas aprendermos a contar e a comunicar bem as histórias e a puxar pela auto-estima. Portugal não tem dimensão, mas tem elevadíssima qualidade. Seremos sempre um nicho e, por isso, devemos vender mais caro e a menos pessoas pela valorização das nossas marcas. A agricultura tem um enorme potencial de transformação nesse sentido”.

O debate promovido pela Monte do Pasto contou com um grupo diverso de empresários, especialistas e académicos que, reunindo experiências de sectores e actividades variadas, aceitou o desafio de contribuir activamente para uma reflexão criativa sobre o futuro do sector agropecuário e agroalimentar em Portugal.

Estiveram igualmente em foco temas emergentes da indústria agropecuária e agroalimentar como a transição energética (via AgroPV e dupla utilização da terra), a protecção da biodiversidade e os modelos de produção integrada do “prado ao prato” (ex: Ethical Meat), as novas tecnologias de criação inteligente que permitem criar produtos mais sustentáveis ao mesmo tempo que recolhem dados que permitem uma comunicação transparente com os consumidores e ainda a importância estratégica das marcas para a valorização da produção agroalimentar nacional e para a sua expansão no mundo e o impacto de marcas e plataformas de inovação tecnológica e colaborativa, com os exemplos dos Açores e do Fundão.

Com mais de 40 anos de experiência no sector agropecuário, o Grupo Monte do Pasto lidera a criação de bovinos em Portugal. Situado no Baixo Alentejo, agrega uma das maiores áreas agropecuárias contínua do País, beneficiando do grande potencial para a actividade integrada de criação de vitelos, recria de novilhos e produção de alimentação animal em grande escala e de forma competitiva.

Com cerca de 65 colaboradores, a sua equipa inclui especialistas em todas as áreas da criação de bovinos e ovinos, nomeadamente em sanidade, medicina veterinária e sustentabilidade ambiental.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Inspectores de navios de São Tomé e Príncipe treinam na DGRM

Partilhar               A DGRM – Direcção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos informa que esta semana …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.