Início / Mar / Ambiente / Os Verdes querem apoio às artes tradicionais de pesca e “travar as grandes indústrias de pesca”

Os Verdes querem apoio às artes tradicionais de pesca e “travar as grandes indústrias de pesca”

“É tempo de travar a poluição dos mares. É tempo de acabar com os plásticos descartáveis. Precisamos de ter mais meios de vigilância marítima, apoiar as artes tradicionais de pescas e travar as grandes indústrias de pesca”. Esta é a proposta do Partido Ecologista Os Verdes.

Em comunicado de imprensa, no âmbito da Conferência das Nações Unidas para os Oceanos, o partido refere que “os oceanos são responsáveis pela produção de metade do oxigénio do planeta e pela captação de grande parte do dióxido de carbono na atmosfera, contribuindo para reduzir o seu efeito de estufa, pelo que o debate em torno de um dos temas centrais desta conferência, uma economia azul sustentável, suscita as maiores reservas para o Partido Ecologista Os Verdes pelos enormes desafios que comporta no que diz respeito à conservação da biodiversidade”.

Portugal tem uma das maiores zonas económicas exclusivas do Mundo que se estende por 1,7 milhões de km2 (18 vezes maior que a área terrestre do continente e ilhas) “e está na iminência de aumentar esta área para mais do dobro. Toda esta vasta área marinha possui uma grande diversidade de ecossistemas e de recursos que têm de ser protegidos”, acrescenta o mesmo comunicado realçando que “há hoje uma nova corrida ao ouro, a mineração dos fundos marinhos, para extracção de metais preciosos e terras raras para alimentar as indústrias das novas tecnologias, face aos quais se perspectivam impactos terríveis nos ecossistemas marinhos”.

Campanha SOS Natureza

Integrado na Campanha SOS Natureza e a propósito da celebração mundial dos oceanos e da Cimeira (Conferência) que decorre no Parque das Nações, Os Verdes irão promover uma acção de rua no próximo dia 1 de Julho às 17 horas, na estação sul e sueste, para alertar para a necessidade de protecção da biodiversidade e conservação da Natureza, em particular dos oceanos face às agressões a que estão sujeitos, nomeadamente pela massificação turística e forte incremento do turismo de cruzeiros nas nossas águas.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Furto de alfarroba não pára. GNR apreende mais 434 quilos em Silves

Partilhar              A Guarda Nacional Republicana (GNR) informa que o Comando Territorial de Faro, através do Posto …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.