Início / Lazer / Desporto / Os desportos e desportistas mais queridos dos portugueses

Os desportos e desportistas mais queridos dos portugueses

Portugal pode ser um País pequeno, mas tem uma grande paixão pelo desporto. Dos seus mais de dez milhões de habitantes, poucos são aqueles que não se interessam por alguma modalidade. Somando a isso, os feitos recentes no panorama desportivo mundial, tem servido para atrair mais adeptos – e mais investimentos – para este sector.

Panorama do desporto em Portugal

Com efeito, não é difícil perceber que o desporto preferido dos portugueses é o futebol. Embora a liga nacional não seja a mais rica ou popular do continente, para os adeptos é certamente a mais importante.

Este interesse também é confirmado pelo número de apostas desportivas disponíveis em sites como o Betano. Considerada uma das maiores e mais relevantes casas de apostas online, a Betano tem a sua secção dedicada ao futebol português entre as mais acedidas do mercado nacional, e oferece uma variedade de modalidades de apostas em partidas da Primeira Liga, cativando o interesse de muitos internautas.

No entanto, apesar da incontestável preferência dos adeptos, existem outras opções para além do futebol que também são disponibilizadas na referida plataforma de apostas.

Por exemplo, o ténis. Portugal não tem estrelas como Nadal ou Federer, mas João Sousa vem se mantendo consistentemente no top 100 do ranking mundial, e no top 50 de duplas. Com o passar dos anos, os campeões de sempre tem envelhecido e pode haver espaço para novos nomes. Quem sabe, portugueses!

Da terra ao mar, podemos falar do surf. Incluído nos últimos Jogos Olímpicos, é um desporto que tem atraído mais audiência a cada dia. O melhor atleta português, Frederico Morais, tem conseguido resultados expressivos, e talvez seja apenas uma questão de tempo até que vença uma etapa do WSL, batendo adversários lusófonos como Gabriel Medina e Ítalo Ferreira.

Ainda nas águas, Portugal pode-se orgulhar dos seus atletas de canoagem. Fernando Pimenta já conseguiu duas medalhas olímpicas, em Tóquio (2020) e em Londres (2012). Essa última com Emanuel Silva, que também tem uma coleção de medalhas de ouro em campeonatos mundiais.

No atletismo, Portugal também tem ganho espaço – e medalhas – em competições importantes. A mais recente delas, o ouro olímpico de Pedro Pichardo. Competindo no salto triplo, Pichardo, atleta do Sport Lisboa e Benfica, que adoptou Portugal como lar conseguiu superar todos os adversários de forma brilhante e conquistou a única medalha dourada do país nos Jogos Olímpicos do Japão. A sua colega Patrícia Mamona chegou perto de alcançar o mesmo feito, trazendo uma de prata no mesmo salto triplo, versão feminina.

E o mundo das lutas, modalidade que tem crescido no interesse do público, também tem atletas promissores em Portugal. Jorge Fonseca conquistou um bicampeonato mundial de judo, categoria até 100 kg, antes de chegar às Olimpíadas e trazer uma medalha de bronze para casa. Já Bárbara Timo não conseguiu medalha em Tóquio, mas o ouro no campeonato europeu e a prata no mundial, fazem adivinhar um futuro promissor e um nome a manter debaixo de olho nesta modalidade a curto prazo.

Nos desportos motorizados, Miguel Oliveira tem acelerado fundo. Os seus excelentes desempenhos nas corridas da Moto GP trouxeram-lhe o merecido reconhecimento, acompanhado do título de Desportista do Ano de 2018, dado pela Confederação do Desporto de Portugal.

Oliveira talvez fosse o desportista mais mediático de Portugal, se não houvesse outro que, incontestavelmente, atrai holofotes não só nacionais, como de todo o mundo. Pode-se argumentar que ele tem a vantagem de estar no desporto mais popular do planeta, mas, mesmo entre tantas estrelas, ele consegue ser único, incomparável e é um ídolo não só de Portugal, mas universal.

Cristiano Ronaldo dos Santos Aveiro, ou simplesmente Cristiano Ronaldo. O avançado que venceu por cinco ocasiões o prémio FIFA de melhor jogador do mundo, detentor de inúmeros recordes e, para muitos, o maior futebolista que já existiu. Difícil de competir com ele, em todos os sentidos.

Em suma, o talento está cá e as modalidades também. Agora, resta apoiar e incentivar todo o desporto português para mais e melhores feitos.

 
       
   
 

Verifique também

WWF: 17% da população europeia está em grande risco de escassez de água até 2050

Partilhar              Uma nova análise dos cenários climáticos e socioeconómicos do Water Risk Filter da WWF — …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.