Início / Agricultura / Opinião Confagri. Cooperativismo: um setor para o futuro!

Opinião Confagri. Cooperativismo: um setor para o futuro!

Opinião de Nuno Serra, Secretário-Geral Adjunto da Confagri — Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas

Existe uma perceção pública, em geral, sobre o setor cooperativo que não se coaduna com a real importância do cooperativismo agrícola para a alimentação, nem sequer com o seu importante impacto em zonas mais vulneráveis e onde a sua existência assume uma extrema relevância na coesão territorial, ambiental e social.

O setor cooperativo do ramo agrícola tem um papel fundamental na concentração da oferta, planeamento da produção, orientação para o mercado e valorização da produção, bem desempenhadas por algumas delas e por organizações e agrupamentos de produtores reconhecidas ao abrigo da legislação comunitária e nacional.

As quotas de mercado das cooperativas, segundo um estudo publicado pela Universidade Católica Portuguesa, são muito significativas nalguns setores como o azeite, vinho, frutas e o leite. O que demonstra a importância do setor cooperativo para o complexo agroalimentar em Portugal.

Contudo, com o arrastar do tempo e perante as novas realidades globais, as exigências impostas ao setor são diferentes e a necessidade de adaptação tem de ser rápida.

A pequena dimensão e reduzida capacidade de concentrar a produção, conjuntamente com as novas práticas comerciais decorrentes da abertura global dos mercados modernos tem sido um constante desafio ao setor.

Já ao nível da União Europeia onde, segundo dados do COGECA, as cooperativas agrícolas representam uma quota de 60%, o setor cooperativo tem vindo a crescer e a restruturar toda a sua organização, através de um conjunto de políticas publicas que têm permitido a adaptação das entidades às novas exigências do mercado, socioeconómicas e ambientais.

Este caminho de fortalecimento do setor tem de ser construído com serenidade e ação, sempre em prol do meio rural.

A Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal, aproveitando a proximidade da entrada em vigor do PEPAC 2023-2027, considerou o atual momento como uma oportunidade única de se avançar para a criação de medidas específicas com objetivo de restruturar e redimensionar as cooperativas agrícolas, que permitam melhorar a concentração da oferta, comercialização e escoamento da produção nacional.

Isto, ao mesmo tempo que se propõe a tornar o setor cooperativo como uma via útil à fixação de jovens no interior, através da sua capacitação para a gestão dos setores agrícolas cooperativos.

Esse desafio foi lançado ao Governo, através do Ministério da Agricultura e Alimentação, que o aceitou, determinando a criação de um grupo trabalho “Cooperativas 20|30”, que deverá produzir um relatório com medidas específicas de apoio à restruturação, redimensionamento, capacitação institucional e competitividade, devendo apresentar o documento até 30 de junho de 2023.

É com esta base de partida e com os instrumentos resultantes do documento a produzir que a CONFAGRI, conjuntamente com o setor cooperativo agrícola, pode, não só, inverter a perceção pública sobre a importância fulcral destas entidades para o desenvolvimento agroalimentar, mas, também, para o combate à desertificação e abandono rural.

Este caminho de fortalecimento do setor tem de ser construído com serenidade e ação, sempre em prol do meio rural.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Boletins com Recomendações de Rega do Milho. Semana de 13 a 29 de Maio de 2024

Partilhar              A Anpromis — Associação dos Produtores de Milho e Sorgo de Portugal informa que estão …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.