Início / Agricultura / Operadores preparam-se “para triplicar o preço da electricidade”. Regantes pedem apoios para evitar subida do preço dos alimentos

Operadores preparam-se “para triplicar o preço da electricidade”. Regantes pedem apoios para evitar subida do preço dos alimentos

As associações de regantes alertam para a crise eminente no sector agrícola devido à subida dos custos com a energia. “As comercializadoras preparam-se para triplicar o preço da electricidade, o que poderá levar à subida do preço dos produtos agrícolas”, refere a Fenareg – Federação Nacional de Regantes de Portugal em comunicado, pedindo apoios ao Governo para evitar subida do preço dos alimentos.

A Fenareg antecipa “um inevitável aumento do preço dos produtos agrícolas”, caso o Governo não adopte medidas que ajudem a mitigar o custo da energia na agricultura. “Este é o momento de agir, o Governo deve accionar a medida da electricidade verde, com taxas de apoio que compensem efectivamente o aumento dos custos da energia, ou em alternativa criar outra medida que possa amortecer este aumento de quase 200% no preço da energia, que inevitavelmente se irá reflectir no aumento do preço dos produtos agrícolas ao consumidor”, afirma José Núncio, o presidente da Fenareg.

Realça o mesmo comunicado que os preços da energia “já eram altíssimos e os contratos de fornecimento de electricidade penalizadores para os agricultores e para as associações de regantes, mas agora passam a ser catastróficos”. E alerta: o preço da electricidade vai aumentar de 55€/MWh para 160€/MWh, e em alguns casos ainda mais, de acordo com a revisão de preços apresentada pelas empresas comercializadoras às associações de regantes.

Electricidade verde

Recorde-se que em 2020 os agricultores viram “defraudadas as suas expectativas quanto à medida da electricidade verde, cujos apoios reais não chegaram para cobrir 5% do valor da factura energética”.

Salienta ainda o mesmo comunicado o facto de os agricultores portugueses pagarem a electricidade mais cara da Europa, e de “os sucessivos governos não terem, até ao momento, sido capazes de adoptar medidas que contribuam para baixar o custo da energia no regadio”.

Enquanto isso, em França “existem há já vários anos medidas que desagravam os custos da energia na agricultura e em Espanha os contratos sazonais de electricidade na agricultura já são uma realidade”. O Governo espanhol anunciou este ano 30 milhões de euros de apoios para incentivar as explorações agrícolas e as associações de regantes a adoptar medidas de poupança energética e abriu a possibilidade de os agricultores criarem comunidades locais de energia a partir de fontes renováveis, para produção de até 300 megawatts, visando o autoconsumo e a venda à rede.

“Portugal deve seguir o exemplo de França e de Espanha para que nenhum agricultor português fique para trás no competitivo mercado agroalimentar, nem no cumprimento das metas de transição energética e descarbonização”, conclui o presidente da Fenareg.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Captura de de pescado aumenta 67% em Novembro de 2021

Partilhar               O volume de capturas de pescado em Portugal, em Novembro de 2021, aumentou 66,7% …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.