Início / Agricultura / Oleiros recebe primeiros “abrigos” de apoio à agricultura de subsistência

Oleiros recebe primeiros “abrigos” de apoio à agricultura de subsistência

Os habitantes do concelho de Oleiros receberam os primeiros “abrigos” agrícolas de apoio à agricultura de subsistência. Um projecto dinamizado pela Associação Causa, no âmbito do programa “Parcerias para o Impacto”, que conta com o Município de Oleiros como investidor social.

O objectivo é garantir, potenciar e promover a agricultura familiar, permitindo aos agricultores de subsistência e suas famílias reactivar a sua actividade. O anexo agrícola a implementar corresponde aos parâmetros exigidos por cada município, e oferece a cada agricultor a reconstrução do sítio de apoio à horta, maioritariamente feito de madeira ardida, sendo esta madeira reaproveitada, comprada e trabalhada em serrações locais, segundo a Associação Causa.

“Os incêndios dos últimos anos ficarão para sempre na memória dos habitantes do concelho de Oleiros, pelo rasto de destruição que causaram nas nossas gentes e nos seus pertences. O processo de reconstrução das vidas após as perdas começou logo depois e agora, colhem-se os frutos do projecto de inovação social Abrigo e Horta”, refere uma nota de imprensa da autarquia de Oleiros.

Foi nesse âmbito que o executivo camarário, liderado pelo seu presidente, Fernando Jorge, se deslocou na terça-feira, 22 de Fevereiro, às aldeias de Cova da Azenha e Poeiros – freguesia de Estreito e Vilar Barroco – de modo a que pudessem estar presentes numa simbólica “entrega” dos dois primeiros anexos agrícolas (abrigos) que já encontram finalizados e prontos a utilizar.

“Fizemos a entrega oficial a estas pessoas que viram as suas instalações de apoio aos terrenos, completamente destruídas pelo fogo. Consideramos que, dentro do possível, a construção destes dez abrigos é uma ajuda importante e preciosa que damos à população do concelho”, sublinhou o edil Fernando Jorge.

Natércia Pires e Carlos Gonçalves, os dois beneficiários dos primeiros “abrigos” que se encontram concluídos, enalteceram “a importância” destas novas infra-estruturas para o seu dia-a-dia, funcionando como “apoio directo” ao armazenamento de materiais agrícolas, produtos de cultivo e rações para animais, apenas para exemplificar algumas das suas valências. Em alguns dos casos, pode até servir de abrigo para os animais.

Para além do executivo e sua equipa, marcou ainda presença o presidente da Junta de Freguesia de Estreito e Vilar Barroco, José Jorge Martins, e a arquitecta Lúcia Pato, em representação da Associação Causa. Nas próximas semanas mais infra-estruturas como as que foram agora entregues ficarão finalizadas e, portanto, prontas a ser utilizadas pelos seus beneficiários.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Confederação das micro e pequenas empresas: redução do IRC visa “essencialmente as grandes empresas”

Partilhar              A CPPME — Confederação Portuguesa de Micro, Pequenas e Médias Empresas considera que “a redução …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.