Início / Agricultura / OCDE: florestas portuguesas são as mais expostas ao perigo de incêndio na Europa

OCDE: florestas portuguesas são as mais expostas ao perigo de incêndio na Europa

Nota: Países Europeus da OCDE seleccionados.
Fonte: Maes et al. (2022), Monitorização da exposição a perigos relacionados com o clima. Metodologia do indicador e principais resultados.

A OCDE — Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico alerta que as florestas portuguesas “estão particularmente expostas ao perigo de incêndio”, sendo a percentagem de superfície arbórea exposta ao perigo de incêndio a maior na União Europeia.

“O País está particularmente exposto a riscos relacionados com o clima. Enfrenta múltiplas ameaças, incluindo a erosão costeira, eventos de precipitação intensa e dias de calor extremos. As secas também prejudicam o rendimento agrícola e a produção de energia hidroeléctrica. As florestas estão particularmente expostas ao perigo de incêndio”, referem as Revisões do Desempenho Ambiental – Portugal 2023“, da OCDE apresentadas no passado dia 14 de Março, no Palácio de Valenças, em Sintra. 

Adianta o documento que “mais de metade das propriedades rurais não tem uma delimitação cadastral e estima-se que 20% dos terrenos florestais tenham proprietários desconhecidos”.

Para os técnicos da OCDE, Portugal “intensificou as medidas de adaptação”. “O Governo adoptou uma Estratégia Nacional de Adaptação em 2015 e um programa de Acção em 2019 para definir prioridades e medidas. A informação pública sobre os riscos das alterações climáticas melhorou consideravelmente e a adaptação está cada vez mais integrada nas estratégias sectoriais, como na agricultura”.

Acelerar registos do cadastro fundiário

E acrescentam que “o financiamento para a adaptação foi aumentado, nomeadamente co-financiado pela União Europeia. Portugal reforçou a prevenção dos riscos de incêndios florestais, mas enfrenta o desafio de melhorar as práticas de gestão florestal em zonas rurais abandonadas, onde a propriedade da terra é privada e fragmentada. Acelerar os registos do cadastro fundiário e alargar os pagamentos dos serviços ecossistémicos pode ajudar a reduzir os riscos de incêndios florestais”.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Câmara de Santarém atribui Medalha de Ouro ao CNEMA

Partilhar              A Câmara de Santarém condecorou hoje, 14 de Junho, o CNEMA — Centro Nacional de …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.