Início / Agricultura / Novo foco de Gripe Aviária numa exploração de patos de engorda em Vendas Novas

Novo foco de Gripe Aviária numa exploração de patos de engorda em Vendas Novas

A DGAV — Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária informa que, no dia 29 de Agosto, foi confirmado novo foco de infecção por vírus da Gripe Aviária (GA) numa exploração comercial de patos de engorda, na freguesia e concelho de Vendas Novas, distrito de Évora.

Recorde-se que Portugal recuperou o estatuto de país livre de gripe aviária de alta patogenicidade a 22 de Abril de 2022, de acordo com o disposto no capítulo 10.4 do Código Sanitário dos Animais Terrestres da Organização Mundial para a Saúde Animal (WOAH).

As medidas de controlo do foco implementadas pela DGAV, de acordo com a legislação em vigor, incluem a inspecção ao local onde foi detectada a doença e a eliminação dos animais afectados, assim como a inspecção e notificação das explorações que detêm aves existentes nas zonas de protecção num raio de 3 km em redor do foco e de vigilância num raio de 10 km em redor do foco.

Perante a evidência de contínua circulação do vírus da Gripe Aviária de Alta Patogenicidade (GAAP), a DGAV apela a todos os detentores de aves que cumpram com rigor as medidas de biossegurança e as boas práticas de produção avícola, que permitam evitar contactos directos ou indirectos entre as aves domésticas e as aves selvagens.

Adianta a DGAV que devem ser reforçados os procedimentos de higiene de instalações, equipamentos e materiais, bem como o rigoroso controlo dos acessos aos estabelecimentos onde são mantidas as aves.

“A notificação de qualquer suspeita deve ser realizada de forma imediata, para permitir uma rápida e eficaz implementação das medidas de controlo da doença no terreno pela DGAV”, realça aquela Direcção.

Doença infecciosa viral

A gripe aviária é uma doença infecciosa viral que atinge aves selvagens, de capoeira e outras aves mantidas em cativeiro. As infecções por vírus da gripe aviária apresentam-se em duas formas, os vírus de baixa patogenicidade provocam apenas sinais ligeiros de doença, enquanto os vírus de alta patogenicidade provocam mortalidade muito elevada, especialmente nas aves de capoeira, com um impacto importante na saúde das aves domésticas e selvagens, bem como na produção avícola, uma vez que constitui motivo de suspensão da comercialização de aves vivas e seus produtos nas zonas afectadas.

Saiba mais sobre as medidas de controlo de doença aplicadas nas zonas sujeitas a restrições sanitárias no Edital n.º 21 da Gripe Aviária, que pode ser consultado aqui.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Opinião Confagri. Cooperativismo: um setor para o futuro!

Partilhar              Opinião de Nuno Serra, Secretário-Geral Adjunto da Confagri — Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas Existe …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.