Início / Agricultura / Município de Castelo Branco arranca com projecto de recolha de biorresíduos

Município de Castelo Branco arranca com projecto de recolha de biorresíduos

A primeira fase do projecto de recolha de biorresíduos – Projecto RecolhaBio – arrancou esta semana em Castelo Branco através da realização de acções de sensibilização para a recolha selectiva de resíduos alimentares, porta-a-porta em grandes produtores (restaurantes, cantinas, mercados) na cidade de Castelo Branco e na vila de Alcains.

O projecto recolhaBio tem como meta separar cerca de 1.119 toneladas de biorresíduos por ano, correspondente a cerca de 12% face ao potencial de produção total de biorresíduos do concelho.

O composto, resultante da compostagem dos biorresíduos, apresenta-se como “sendo um produto final com características muito interessantes do ponto de vista de aplicação na agricultura podendo representar uma mais-valia para a agricultura familiar, possibilitando a economia circular e, assim, devolver à terra o que é da terra”, explicava a autarquia em Junho passado.

Nesta primeira fase, o projecto RecolhaBio, financiado pelo Fundo Ambiental na vertente “Resíduos e economia circular”, cujo processo de candidaturas, que decorreu em 2022, foi coordenado pela Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa, tendo o Município de Castelo Branco um valor aprovado de 147.846 euros.

Este projecto inclui:

  • a recolha selectiva de resíduos alimentares, Porta a Porta (PaP) em 150 grandes produtores (restaurantes, cantinas, mercados) na Cidade de Castelo Branco e vila de Alcains;
  • a separação e reciclagem na origem através de compostagem comunitária a implementar nas freguesias do concelho;
  • monitorização do desempenho da recolha através de ferramentas informáticas;
  • campanhas e acções de sensibilização e comunicação, incluindo para a redução do desperdício alimentar.

Campanha de comunicação e sensibilização

Entretanto, a campanha de comunicação e sensibilização irá decorrer entre os dias 9 e 12 de Agosto e no dia 8 de Setembro (para as escolas), com visitas presenciais aos vários estabelecimentos potenciais produtores de resíduos alimentares, explica hoje uma nota de imprensa da autarquia.

Nesta visita é prestada informação acerca do projecto de recolha de biorresíduos e do modo de funcionamento do sistema de recolha, o qual é totalmente gratuito e está a cargo dos Serviços Municipalizados de Castelo Branco (SMCB).

Contentor de 120 litros para aderentes

Os estabelecimentos aderentes recebem gratuitamente um contentor de 120 litros que devem usar exclusivamente para deposição de resíduos alimentares sólidos, tais como, sobras de preparação de refeições, cascas de fruta, carne, peixe, ovos, restos de pão, restos da limpeza do prato, borras de café, saquetas de chá. O contentor é depois recolhido diariamente porta-a-porta dos estabelecimentos, adianta a mesma nota.

Os contentores dispõem de sistema RFID (identificação por radiofrequência) que permite efectuar o registo de informação e controlo e assim monitorizar o desempenho da recolha de biorresíduos.

As acções de sensibilização estão a ser realizadas com o apoio da empresa SUMA – Serviços Urbanos e Meio Ambiente, que “possui uma vasta experiência na área de gestão de resíduos, incluindo também esta nova fileira que são os biorresíduos”.

A recolha selectiva de biorresíduos porta-a-porta nos estabelecimento aderentes terá inicio no próximo dia 16 de Agosto. O Município passa a ter disponível um serviço de recolha selectiva porta-a-porta que, numa primeira fase, abrange os grandes produtores da cidade de Castelo Branco e vila de Alcains e que, posteriormente, se estenderá aos clientes domésticos.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Chega recomenda ao Governo reversão da extinção das Direcções Regionais de Agricultura

Partilhar              O Grupo Parlamentar do Chega (CH) recomenda ao governo que “reverta a decisão de extinção …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.