Início / Agricultura / Movimento de utentes do Mercado Abastecedor do Funchal cresce em 2015

Movimento de utentes do Mercado Abastecedor do Funchal cresce em 2015

O Centro de Abastecimento de Produtos Agrícolas do Funchal (CAPA), conhecido por Mercado Abastecedor de São Martinho, aumentou o movimento de utentes no ano passado, depois da criação da categoria de utente comprador-consumidor final, em 2012.

Considerando as três categorias de utentes, verifica-se, em 2015, um crescimento no movimento de utentes “Vendedores” em cerca de 9,2%, em relação ao ano de 2014. De igual modo, no que concerne ao movimento de utentes “Compradores”, este, em 2015, apresenta um aumento de 10,1%, face ao ano anterior. Relativamente ao movimento de utentes “Consumidor final”, o crescimento é mais significativo, porquanto, em 2015, quando comparado com o ano de 2014, apresenta um aumento de 105,6% (mais 2.596 movimentos), revelando assim, uma crescente preferência de famílias madeirenses por este espaço, quando decide fazer as suas compras de hortofrutícolas frescos de reconhecida qualidade.

Por conseguinte, verificou-se um movimento total de 44.891 utentes em 2014 e 51.489 utentes em 2015, o que representa um aumento significativo de 14,7% (mais 6.598 operações). Este crescimento é resultante, por um lado, de uma maior aposta dos agricultores (vendedores) em utilizar este espaço para escoar os seus produtos, quer directa ou indirectamente ao consumidor final e, por outro, “de uma maior procura e confiança por parte dos compradores/consumidores em adquirir, a bons preços, o que há de melhor na agricultura regional”, afirma Lucília Lourenço, da Direcção Regional de Agricultura madeirense.

O Centro de Abastecimento de Produtos Agrícolas do Funchal (CAPA), mais conhecido como Mercado Abastecedor de São Martinho, foi “criado para apoiar o comércio grossista de produtos hortofrutícolas de origem regional, proporcionando aos agricultores madeirenses melhores e mais vantajosas condições de acesso das suas produções aos principais mercados de grande consumo, assegurando assim níveis de rendimento compatíveis à manutenção e desenvolvimento das suas actividades”, explica Lucília Lourenço.

Um maior escoamento da produção

No entanto, e com o objectivo de “proporcionar aos vendedores, sobretudo agricultores, um maior escoamento das suas produções, e bem assim, maiores rendimentos, foi dada a oportunidade de colocarem os seus produtos directamente ao consumidor final, permitindo a que qualquer madeirense possa visitar o mercado abastecedor, e ali comprar produtos agrícolas regionais de elevada qualidade e frescura, a preços compensadores”, adianta a mesma responsável.

Tendo em conta a criação mais recente da categoria de utente comprador-consumidor final (desde de Novembro de 2012), “torna-se importante fazer uma abordagem ao movimento de utentes registados nos últimos dois anos, designados como “Vendedores” (agricultores e grossistas hortofrutícolas profissionais), “Compradores” (médios e pequenos retalhistas profissionais, hotelaria, e restauração) e “Consumidor final” (famílias)”, diz Lucília Lourenço.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Porto de Aveiro conclui reforço das defensas e cabeços de amarração da Ponte Cais 26 do TGL

Partilhar              A empreitada de substituição das defensas e dos cabeços de amarração da Ponte Cais 26, …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.