Início / Agricultura / Ministro da Agricultura de Angola: agricultores portugueses que queiram investir “são bem-vindos”

Ministro da Agricultura de Angola: agricultores portugueses que queiram investir “são bem-vindos”

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os ministros da Agricultura português e angolano definiram quinta-feira, 16 de Fevereiro, em Lisboa as prioridades para intensificar a cooperação bilateral no sector agrícola e pecuário, não só ao nível da produção, como da segurança alimentar e do investimento empresarial.

No final do encontro, em conferência de imprensa conjunta, o ministro angolano reiterou a importância para Angola de uma cooperação mais estreita entre os dois países para ajudar a desenvolver e diversificar a agricultura angolana, considerando ser obrigação de qualquer ministro com essa pasta “produzir para criar alimentação para a população do país – que, no caso de Angola, é muito grande”.

E disse que há oportunidades de investimento em Angola para os agricultores portugueses. “Portugal detém um conhecimento sobre a agricultura angolana muito grande, Portugal tem uma experiência vasta no desenvolvimento da agricultura e nós achamos que os portugueses podem contribuir grandemente também para o desenvolvimento da agricultura angolana”, disse Marcos Alexandre Nhunga, que sublinhou igualmente que os agricultores portugueses que queiram investir no sector em Angola “são bem-vindos”.

“Aproveitamos para sensibilizar os agricultores portugueses de que Angola é um país com as potencialidades que todos conhecem e julgo que os agricultores e pecuaristas portugueses são bem-vindos em Angola”, frisou. Para reforçar essa ideia, acrescentou que “há exemplos de sucesso de empresários portugueses na área da agricultura em Angola”.

Cooperação benéfica

Por sua vez, o ministro português, Luís Capoulas Santos, disse que, será “uma cooperação beneficamente recíproca para os dois países, no momento em que Portugal e Angola procuram reforçar as suas relações políticas, que, sendo excelentes, queremos tornar ainda melhores”.

Portugal tem “um conjunto de informação técnica e científica que queremos pôr à disposição de Angola para ajudar este país amigo a concretizar a sua estratégia de aumento da produção agrícola, melhorar os padrões de segurança alimentar e tirar proveito das enormes potencialidades que este país tem e que lhe auguram um futuro de grande prosperidade, tenho a certeza”, disse Capoulas Santos.

A visita oficial de três dias do governante angolano a Portugal prossegue hoje de manhã com a participação no II Fórum Agricultura Portugal/Angola, na Fundação Champalimaud, e à tarde com visitas à Sicasal e ao Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV), seguindo-se, às 17h30, a sessão solene de assinatura dos protocolos de cooperação bilateral, na Quinta do Marquês, em Oeiras.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Associação de Bebidas Espirituosas defende fim da proibição de venda de bebidas alcoólicas a partir das 20h00

Partilhar            A Anebe – Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas diz continuar “empenhada em contribuir …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.