Início / Featured / Ministra do Mar quer reforçar ligação da inovação à indústria

Ministra do Mar quer reforçar ligação da inovação à indústria

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, afirmou que “está na hora de apoiar a investigação e de criar mecanismos especiais para apoiar a ligação da inovação à indústria”, aproveitando a qualidade dos cientistas e “uma costa fantástica”.

“Se estamos atrasados tecnologicamente, então temos de acelerar e precisamos de descobrir o que temos de fazer para poder ir mais rápido na implementação desta estratégia”, disse a ministra, na conferência “Energias Renováveis Oceânicas: uma Estratégia Industrial e Exportadora”, em Lisboa.

“É tempo de Portugal trabalhar em conjunto na implementação da estratégia para o mar”, “porque temos todas as condições para ser um exemplo nesta área, nomeadamente a matéria-prima mais importante, as pessoas. E porque temos compromissos para cumprir”.

Ana Paula Vitorino disse que o mar será um recurso fundamental para Portugal conseguir, até 2030, reduzir 40% nos gases com efeito de estufa, cortar 27% no consumo de energia e aumentar em 27% o uso de energias renováveis.

Financiamento de energias renováveis oceânicas

“A aposta nas energias renováveis oceânicas é uma medida política racional na vertente ambiental e também na construção da competitividade para um crescimento sustentável”, disse Ana Paula Vitorino, que frisou que Portugal já tem capacidade de financiar startups nesta área, seja através do Fundo Azul, seja através do Horizonte 2020.

A ministra do Mar acrescentou que não se trata apenas de produzir energia eléctrica a partir do mar mas também em apostar na aquacultura: “Esta matéria é decisiva para conseguirmos, por exemplo, a sustentabilidade dos stocks piscícolas nacionais. E há custos de contexto que podem ser resolvidos com as energias renováveis oceânicas”.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

COTHN: diminuir competências da DGAV é “má estratégia com consequências muito graves para a competitividade do sector agrícola”

Partilhar            A direcção do COTHN — Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional diz que “diminuir, ou …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.