Início / Agricultura / Manteiga dos Açores reconhecida como Denominação de Origem em Portugal

Manteiga dos Açores reconhecida como Denominação de Origem em Portugal

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Secretaria Regional da Agricultura e Florestas, através do Instituto da Alimentação e Mercados Agrícolas (IAMA), informa que a Manteiga dos Açores foi reconhecida a nível nacional como produto com Denominação de Origem (DO), enquanto aguarda a decisão da Comissão Europeia quanto ao pedido de registo como Denominação de Origem Protegida (DOP).

“Este reconhecimento constitui uma mais-valia para todo o sector agrícola açoriano, pelo que pode significar em termos de novas oportunidades de negócio e valorização da produção”, diz uma nota de imprensa do executivo açoriano.

E acrescenta que “associar a Manteiga dos Açores aos regimes de qualidade da União Europeia insere-se na estratégia regional de salvaguardar as características específicas deste produto, vinculado à sua origem geográfica e ao saber fazer local, mas, simultaneamente, aumentar a confiança dos consumidores na manteiga e ajudar a aumentar a notoriedade das produções agrícolas açorianas”.

Processo iniciado em 2018

Iniciado em 2018 pelo Centro Açoriano de Leite e Lacticínios (CALL), na sua qualidade de Agrupamento Gestor, o processo de registo da Manteiga dos Açores DOP implicou a elaboração de um caderno de especificações que descreve o produto, as regras de produção e a sua relação com a área geográfica.

O caderno de especificações da Manteiga dos Açores pode ser consultado na página da Direcção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, aqui.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

PSD recomenda ao Governo criação de sistema de videovigilância na floresta em todos os distritos de Portugal continental

Partilhar              O Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata (PSD) diz que a existência de sistemas de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.