Início / Featured / Madeira: Navio hidrográfico apoia investigação sobre vida marinha nas ilhas Selvagens

Madeira: Navio hidrográfico apoia investigação sobre vida marinha nas ilhas Selvagens

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A lancha hidrográfica Andrómeda, em missão no Arquipélago da Madeira, efectuou a recolha de uma bóia ondógrafo do Instituto Hidrográfico, situada na área marinha protegida das ilhas Selvagens, detectando vários exemplares de invertebrados incrustados, que se desenvolveram ao longo dos últimos 2 anos.

Explica um comunicado da Marinha Portuguesa que foram recolhidas diversas amostras pelo Museu de História Natural do Funchal, que após um processo de identificação serão posteriormente registadas e incorporadas nas colecções científicas do museu.

A Marinha Portuguesa contribui, desta forma, “para o importante trabalho desenvolvido por este órgão científico-cultural e, consequentemente, para o incremento do conhecimento da biodiversidade marinha na região”, frisa o mesmo comunicado.

O NRP Andrómeda, que comemora no mês de Julho o seu 33.º aniversário ao serviço da Marinha Portuguesa, é comandado pelo primeiro-tenente João Duarte Ventura da Cruz e tem uma guarnição de 14 elementos.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

COTHN: diminuir competências da DGAV é “má estratégia com consequências muito graves para a competitividade do sector agrícola”

Partilhar            A direcção do COTHN — Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional diz que “diminuir, ou …

2 comentários

  1. As amostras recolhidas de Lapas da espécie Patella candei foram recolhidas para o projeto SLIP, e podiam aproveitar para divulgar a informação do projeto: https://www.facebook.com/SLIPLapadasSelvagens/

    O Covid19 não nos pára! Na impossibilidade de irmos às Ilhas Selvagens arranjámos alternativas! Com a ajuda do Dr. Zino que fez chegar as lapas (Pattela candei) das Selvagens ao Funchal e com a ajuda do Hugo Luis que as fez chegar hoje ao aeroporto de Lisboa, iremos conseguir realizar as primeiras análises genéticas com o objetivo de responder às questões: é a lapa, Patella candei, endémica das ilhas Selvagens ou é geneticamente a mesma espécie existente nas ilhas Canárias.
    Obrigada ainda ao Bernardo Duarte do Mare pela colaboração em Lisboa no laboratório. Biotox Lab

    O projeto foi um dos vencedores da 3.ª edição do Fundo de Conservação dos Oceanos, promovido pelo Oceanário de Lisboa e Oceano Azul Foundation, e envolve a ULHT – Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, o Museu de História Natural do Funchal, o Centro de Ciencias do Mar (CCMAR), IPM Instituto Português de Malacologia e a Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.