Início / Featured / Madeira alarga de 4 para 5 meses a proibição da apanha da lapa

Madeira alarga de 4 para 5 meses a proibição da apanha da lapa

O Governo Regional da Madeira decidiu alargar de quatro para cinco meses a proibição da apanha da lapa e avança com medidas penalizadoras para quem prevaricar. A interdição da apanha da lapa passa a vigorar entre 1 de Novembro e 31 de Março, quando antes estava fixada entre 1 de Dezembro e 31 de Março. A Portaria que define as novas regras está pronta a assinar.

O documento deverá ser assinado ainda esta semana pelo secretário Regional de Mar e Pescas, Teófilo Cunha, que já deu conta ao presidente do Governo Regional dos principais objectivos desta alteração, o mais substantivo dos quais a “necessidade de preservar os stocks existentes” e assegurar “o estabelecimento de um período de defeso para protecção da reprodução da lapa”.

A par do alargamento do período de defeso, a nova regulamentação também “aperta o cerco” a quem prevaricar, sejam eles detentores de licença para fins comerciais, sejam portadores de cartão para consumo familiar — na época permitida podem apanhar um máximo de 3 kg por pessoa, valor que se mantém.

Regime mais penalizador

Com as novas regras, entra também em vigor um regime mais penalizador, explica o Executivo madeirense. Quem, por exemplo, atingir três contra-ordenações “de forma efectiva, fica inibido do exercício da respectiva actividade durante os três anos seguintes à referida condenação”.

A apanha da lapa está dividida por zonas. Zona A, que engloba os concelhos do Funchal, Câmara de Lobos, Ribeira Brava, Ponta do Sol, Calheta e Porto Moniz. Zona B, constituída pelos concelhos de Santa Cruz, Machico, Santana e São Vicente. Zona C, Porto Santo.

A cada uma das zonas é atribuído um número máximo de licenças. No regime anterior, as três zonas somavam um total de 60 autorizações, agora esse número desce para apenas 35.

A tomada de medidas políticas fortes deve-se ao facto de “a monitorização de indicadores biológicos estar a demonstrar que o período reprodutivo das lapas na Região tem vindo a estender-se ao longo do ano, pelo que o estabelecimento de um período de defeso para protecção da reprodução da lapa, é um dos meios mais eficazes no que respeita a estratégicas de conservação do recurso”, justifica Teófilo Cunha, apoiando-se nos estudos mais recentes que têm sido realizados pela Direcção Regional Mar.

Perigo de ruptura dos stocks

A Secretaria Regional de Mar e Pescas recorda que as campainhas de alarme para o perigo de ruptura dos stocks começaram a soar no Verão de 2021 quando um grupo de apanhadores profissionais fez chegar um abaixo-assinado ao secretário Regional de Mar e Pescas, Teófilo Cunha.

Entre 2010 e 2020 foram capturadas 1.167 toneladas de lapa na Região Autónoma da Madeira, o equivalente a uma média de 114 toneladas por ano. O valor comercial da lapa também tem vindo a subir, na última década, tendo atingido em 2020 um valor médio recorde de 6 euros/Kg, na primeira venda, em lota.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Agricultores vão começar a receber os 10 cêntimos por litro de gasóleo agrícola gasto em 2021

Partilhar              A decisão já está publicada em Diário da República. Os agricultores vão receber  10 cêntimos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.