Início / Agricultura / Líder do PAN tem terrenos agrícolas em zona de caça. Mas “túneis” afugentam animais. “Não há lá caça”

Líder do PAN tem terrenos agrícolas em zona de caça. Mas “túneis” afugentam animais. “Não há lá caça”

A porta-voz do  PAN – Pessoas-Animais-Natureza tem sido o centro de uma enorme polémica devido às empresas agrícolas que detém com a sua família, as quais Inês Sousa Real garante que não fazem agricultura intensiva e que não possuem estufas, mas sim “túneis”. Como se não fosse suficiente esta polémica, que já divide os militantes do partido — com alguns a defenderem a sua demissão — nos últimos dias são muitos os caçadores a partilharem nas redes sociais fotos de uma das empresas de Inês Sousa Real, a Berry Dream, em que se vê claramente que aquela exploração agrícola está numa Zona de Caça Associativa, com o processo Nº 5144.

Em declarações ao agriculturaemar.com, a direcção da Associação Clube de Caçadores e Pescadores das Taipadas e Quintas, situada em Canha, concelho do Montijo, responsável pela Zona de Caça Associativa, com o processo Nº 5144, disse que “a propriedade está instalada em 4 ha de terreno. Mas ninguém lá vai caçar. Não há caça. As estufas afugentam os animais”.

Disse ainda a mesma fonte que os terrenos da Berry Dream estão alugados ao próprio presidente da Associação Clube de Caçadores e Pescadores das Taipadas e Quintas.

Cá estaremos para apoiar a Doutora Inês Sousa Real caso seja atacada pelos militantes do PAN pelas suas actividades agrícolas e cinegéticas! É essa a nossa função, defender o mundo rural e as suas actividades”, escreve a ANPC — Associação Nacional de Proprietários Rurais, Gestão Cinegética e Biodiversidade — que tem como objectivo a defesa da propriedade rural e das actividades que asseguram a sustentabilidade do mundo rural e as funções essenciais destes espaços, em particular da caça e da biodiversidade — na sua página de Facebook.

A Berry Dream dedica-se essencialmente à produção de framboesa e mirtilos. Uma denúncia enviada ao jornal Nascer do SOL acusava o uso de estufas por parte das empresas associadas a Inês Sousa Real. A deputada, no entanto, esclareceu ao jornal que se tratam de ‘túneis’, que “contrariamente a um sistema de estufas, sendo abertos, permitem, como referimos anteriormente, a entrada do ar, circulação de animais, respiração do solo e circulação das águas da chuva”.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Captura de de pescado aumenta 67% em Novembro de 2021

Partilhar               O volume de capturas de pescado em Portugal, em Novembro de 2021, aumentou 66,7% …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.