Início / Agricultura / Lactogal e Unileite aumentam preço pago pelo leite. Produtores desafiam distribuição a subir preço em 6 cêntimos por litro

Lactogal e Unileite aumentam preço pago pelo leite. Produtores desafiam distribuição a subir preço em 6 cêntimos por litro

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Lactogal — Produtos Alimentares anunciou o aumento de 1,5 cêntimos por litro de leite pago à produção, a partir de 1 de Outubro e a Unileite – União das Cooperativas Agrícolas de Laticínios da Ilha de São Miguel anunciou a subida de 1 cêntimo aos seus produtores em São Miguel, nos Açores, a partir da mesma data.

A direcção da Aprolep — Associação dos Produtores de Leite de Portugal “considera positivo”. ” São decisões no bom sentido, apesar de chegarem muito atrasadas e serem insuficientes face ao aumento brutal do custo das rações que os produtores suportam desde o início de 2021 e face ao aumento do custo da electricidade que começam agora a suportar”.

Aprolep frisa que continua “à espera de uma resposta pública e efectiva das cadeias de distribuição, pois estamos convictos de que sem a sua colaboração não será possível actualizar o preço ao produtor para os valores que referimos”

Por isso a Aprolep “desafia os restantes compradores de leite a aumentarem o preço ao produtor num valor superior aos anunciados, para que o aumento chegue a todos os produtores e para ser possível, de forma progressiva mas rápida, aumentar em 6 cêntimos o preço médio ao produtor em Portugal, pois esse é o valor que estamos neste momento abaixo dos custos de produção e da média comunitária”, refere em comunicado.

E recorda que “temos em Portugal empresas de lacticínios especializadas em produtos de valor acrescentado e grupos que controlam todo o processo, desde o produtor até ao consumidor, e que por isso terão certamente condições para responder de forma rápida e positiva à exigência de um preço justo para a produção de leite que temos vindo a apresentar”.

Por último, a direcção da Aprolep frisa que continua “à espera de uma resposta pública e efectiva das cadeias de distribuição, pois estamos convictos de que sem a sua colaboração não será possível actualizar o preço ao produtor para os valores que referimos”.

Um longo alerta

Os produtores de leite têm, ao longo de meses, alertado o Governo, a indústria e a distribuição para a “situação crítica” que estão a viver. A 25 de Agosto, realizaram uma manifestação reivindicando um preço justo do leite à produção, com um desfile de tractores Trofa.

Uma semana após a concentração de tractores, os produtores de leite continuavam sem respostas. Mas, a 3 de Setembro, o Governo cria uma subcomissão específica para o sector do leite e produtos lácteos, que, segundo Carlos Neves, secretário-geral da Aprolep, em declarações ao agriculturaemar.com, “não vai resolver nada de imediato. Os produtores de leite precisam é de uma decisão rápida da Sonae, do Pingo Doce, de todas as cadeias de distribuição alimentar”.

Carlos Neves, garantiu mesmo que com o aumento do preço do leite pago ao produtor, “o preço de um litro de leite para o consumidor final não deverá aumentar mais de 5 cêntimos. E possivelmente se os supermercados pararem com as promoções quase nem precisam de aumentar o preço de venda”.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

Petição contra a alteração da idade para assistir ou participar em touradas está a chegar aos 18 mil subscritores

Partilhar              O Conselho de Ministros aprovou no dia 14 de Outubro o decreto-lei que altera a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.