Início / Agricultura / Investigadores espanhóis dizem que alho negro ajuda na recuperação do enfarte

Investigadores espanhóis dizem que alho negro ajuda na recuperação do enfarte

Investigadores da Universidade Autónoma de Madrid (UAM) lideraram uma investigação sobre as propriedades cardio-protectoras do alho negro envelhecido e os resultados, publicados na revista Journal of Functional Foods, demonstram que este alimento pode atenuar a diminuição das contracções cardíacas depois de um enfarte do miocárdio. O teste foi realizado em ratos.

Este é um tipo de alho muito utilizado na cozinha asiática, cujo uso se estendeu nos últimos anos à América do Norte e Europa. O alho negro obtém-se a partir do alho comum mediante um processo de envelhecimento acelerado controlando parâmetros de temperatura e humidade. O produto resultante contém um maior teor de polifenóis, ácidos gordos polissaturados, como o ácido linolénico, e compostos de enxofre, o que lhe confere uma maior capacidade antioxidante.

Alho vasodilatador

Segundo os investigadores, os resultados do estudo mostraram que o extracto de alho negro tem um potente efeito vasodilatador das artérias coronárias, e que a administração deste extracto antes e depois de um enfarte previne a diminuição das contracções cardíacas.

O alho (Allium sativum L.) tem já uma larga história como alimento que contribui para prevenir o risco de doenças cardiovasculares. Estudos recentes revelaram as suas propriedades anti-trombóticas e anti-hipertensivas devidas, em parte, ao princípio activo S-alil-cisteína (SAC), que reduz o stress oxidativo e inflamatório e potencia a libertação de substâncias vasodilatadoras como o óxido nítrico (NO) e o ácido sulfídrico (H2S).

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Xylella fastidiosa em videiras de Castelo Branco e Fundão. DGAV dá 10 dias para destruição imediata das plantas

Partilhar              A DGAV — Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária informa que foi confirmada a presença da …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.