Início / Agricultura / Instituto Superior de Agronomia vence 5ª edição das 24H Agricultura Syngenta

Instituto Superior de Agronomia vence 5ª edição das 24H Agricultura Syngenta

A equipa “Marfadecos”, composta por estudantes do 2º ano da licenciatura de Engenharia Agronómica do Instituto Superior de Agronomia, sagrou-se campeã da competição formativa da quinta edição das 24H Agricultura Syngenta. Os vencedores são: Diogo Trindade, Gonçalo Martins, Joaquim Santos, João Fernandes e Ricardo Roussado Filipe.

A quinta edição das 24H Agricultura Syngenta foi a mais participada de sempre, 150 estudantes de 10 universidades e três escolas profissionais agrícolas superaram os desafios de mais de 30 provas, durante 24 horas consecutivas, na Escola Superior Agrária de Santarém, a 9 e 10 de Abril.

“Foi uma competição muito enriquecedora, tanto ao nível social como curricular, estabelecemos contactos com colegas de outras instituições de ensino e com as empresas patrocinadoras. A competição está muito bem organizada, todas as provas nos fizeram sentido, e a organização esteve sempre disponível para ajudar a esclarecer dúvidas. Sem dúvida que voltaremos a participar na edição de 2023”, afirma Gonçalo Martins, o líder da equipa vencedora da 5ª edição das 24H Agricultura Syngenta.

“A quinta edição das 24H Agricultura Syngenta comprovou, mais uma vez, que este é um evento marcante na vida académica dos estudantes de Ciências Agrárias, uma oportunidade única de aprendizagem e para estabelecer uma rede de contactos úteis para a vida profissional futura destes jovens”, explica Ana Cristina Ramos, presidente da Associação Portuguesa de Horticultura (APH), a entidade que organiza o evento, em parceria com a IAAS Portugal – Associação Internacional de Estudantes de Agricultura e Ciências Relacionadas e a SFORI, empresa de formação experiencial.

Os futuros agrónomos adquiriram competências que os ajudarão enquanto profissionais a contribuir para uma agricultura alinhada com os desafios da alimentação sustentável e neutra em carbono, refere uma nota de imprensa da APH.

Agricultura 4.0

A competição desenrolou-se sob o tema da Agricultura 4.0, dando oportunidade aos estudantes para experimentar diversas ferramentas digitais de agricultura de precisão, tais como: a plataforma Remote Display Access da John Deere, a aplicação FieldWork do grupo Hubel, a aplicação ReelView da Rivulis ou a aplicação Tecniferti Apps para aplicação diferenciada (VRT) de adubo líquido.

A Associação Portuguesa de Horticultura propôs aos estudantes a elaboração de uma candidatura ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), no âmbito da iniciativa emblemática Agricultura 4.0, em linha com a Agenda da Inovação para a Agricultura 2030.

“As provas práticas com novas tecnologias digitais, tractores e equipamentos agrícolas, a oportunidade de plantar tomate (variedades Syngenta) e de instalar um sistema de rega (da Magos Irrigation Systems) ou de semear espécies de plantas que atraem insectos polinizadores e contribuem para a biodiversidade da agricultura (margens multifuncionais Operation Pollinator) foram das mais apreciadas pelos estudantes”, acrescenta a presidente da APH.

Os estudantes aprenderam a calibrar pulverizadores (da marca Pulverizadores Rocha), usando a tecnologia Caliset da Syngenta, para aplicação de produtos fitofarmacêuticos de forma eficiente e segura para o ambiente. Conduzindo tractores da marca John Deere, as equipas simularam a aplicação dos produtos num pomar de citrinos.

Noutro momento da competição, a Pulverizadores Rocha desafiou os estudantes a identificar cinco anomalias simuladas num pulverizador, passíveis de reprovação na Inspecção Obrigatória de Pulverizadores.

Também na área da protecção das culturas, as equipas aprenderam a pôr em prática o correcto armazenamento de produtos fitofarmacêuticos de forma segura, no armazém.

Doenças da vinha

Numa parcela de vinha, os estudantes identificaram problemas fitossanitários e calcularam a dose de produto fitofarmacêutico a aplicar em função do estado fenológico das videiras e, noutra prova proposta pela Hubel Verde, aprenderam a elaborar uma análise de seiva das folhas das videiras e a inserir e interpretar os dados através da App FieldWork, da Hubel Engenharia, realizando também uma recomendação de fertilização, com base em produtos de biotecnologia da Hubel Verde.

Na mesma parcela de vinha, constataram a importância de proteger os cachos de uvas das ameaças físicas (granizo, pássaros, escaldão) através da utilização de redes da marca Cotesi.

A Agricultura de Conservação foi o tema da prova proposta pela ANIPLA – Associação Nacional da Indústria para a Protecção das Plantas, explicando aos estudantes os benefícios de proteger e conservar o solo através de boas práticas de controlo do escorrimento superficial, tais como as culturas de cobertura e os restolhos de diferentes origens.

Muito importante é também o conhecimento das alfaias agrícolas e com esse propósito a Galucho ensinou os estudantes a identificar peças e anomalias “simuladas” em charruas e fresas e a engatar os tubos de uma cisterna e a colocá-la em trabalho.

Economia Circular

A Economia Circular aplicada à agricultura foi a prova que a Lipor propôs aos estudantes, ensinando-lhes os princípios da compostagem caseira e industrial e como identificar e controlar os parâmetros que influenciam o processo de compostagem.

A Câmara Municipal de Santarém participou na competição propondo aos estudantes que apresentassem ideias inovadoras para o desenvolvimento da futura Zona de Desenvolvimento Económico Agroindustrial de Santarém e deste desafio resultaram ideias a considerar pelo município.

No período nocturno, o mais duro da competição, decorreu o habitual peddy paper, intercalado com provas de detecção de defeitos em azeites, produção de manteiga, análises físico-químicas a vinho, identificação de raças autóctones e identificação de estados fisiológicos em espécies vegetais.

Os estudantes foram ainda desafiados a conhecer e a provar brownies confeccionados à base de farinha de grilo, um produto desenvolvido pela Easy Protein, uma start-up criada por dois ex-alunos da ESA Santarém.

No encerramento da competição formativa foi anunciado que a 6ª edição das 24H Agricultura Syngenta terá como tema a Agricultura Regenerativa e será realizada na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Bragança, na Primavera de 2023.

Equipas premiadas na 5ª edição 24H Agricultura Syngenta:

1ª Classificada: Marfadecos – Instituto Superior de Agronomia (74.329 pts)
2ª Classificada: Paraguayos Scalabitanos – ESA Santarém / I.P. Castelo Branco / Univ. Algarve (73.890 pts)
3ª Classificada: 4Agro – Instituto Superior de Agronomia (73.161 pts)

Melhor Escola Profissional: Farmers of the Future – Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Vagos (62.459 pts)

Melhor Nocturna: Híbridos do ESAS – ESA Santarém (17.750 pts)
Melhor Diurna: 4agro – Instituto Superior de Agronomia (58.575 pts)
Melhor Teórico-prática: 4Agro – Instituto Superior de Agronomia (29.200 pts)
Melhor Prática: Paraguayos Scalabitanos- ESA Santarém / I.P. Castelo Branco / Univ. Algarve (21.900 pts)
Melhor Teórica: Paraguayos Scalabitanos- ESA Santarém / I.P. Castelo Branco / Univ. Algarve (25.140 pts)

Prémio Artigo Revista APH: Plantabelhas – Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

Menção Honrosa: Baixo Mondego -TPA – Escola Profissional e de Desenvolvimento Rural do Baixo Mondego

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Componentes em cortiça by Amorim ajudam a reduzir pegada de carbono dos pavimentos

Partilhar              Os componentes de cortiça NRT62 com e sem barreira de vapor by Amorim, produtos da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.