Início / Agricultura / INE prevê queda de 25% na produção de azeitona

INE prevê queda de 25% na produção de azeitona

As previsões agrícolas do Instituto nacional de Estatística (INE), em 31 de Dezembro, apontam para uma redução de 25% na produção de azeitona, ainda que a precipitação dos últimos meses tenha compensado parte da quebra na carga de frutos, resultante dos fracos vingamentos.

A colheita da azeitona continuou a decorrer ao longo de Dezembro, nem sempre com um fluxo contínuo de entrega de matéria-prima nos lagares, devido à precipitação ocorrida, refere o INE no seu Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Janeiro de 2021.

Apesar do rendimento em azeite (funda) ser, na generalidade, menor que o alcançado no ano anterior, a qualidade do produto final situa-se dentro dos parâmetros normais (química e organoleticamente)

Na maior parte das principais regiões produtoras, e apesar de índices de floração bastante satisfatórios, o vingamento não correspondeu às expectativas, e a carga de frutos inicial foi inferior à da campanha anterior.

Precipitação de Outubro e Novembro não foi suficiente

A precipitação de Outubro e Novembro, próxima do final do ciclo produtivo dos olivais, ainda possibilitou uma recuperação em muitos olivais tradicionais de sequeiro, em particular no interior Norte, com o aumento do calibre da azeitona, mas, globalmente, estima-se uma redução de 25% da quantidade de azeitona produzida, acrescentam os técnicos do INE.

De salientar que, apesar do rendimento em azeite (funda) ser, na generalidade, menor que o alcançado no ano anterior, a qualidade do produto final situa-se dentro dos parâmetros normais (química e organoleticamente).

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Preços na produção industrial aumentam 19,9% em Dezembro de 2021

Partilhar               O Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) registou uma variação homóloga de 19,9% …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.