Início / Agricultura / INE estima redução de 60% na produtividade da cereja na campanha de 2020

INE estima redução de 60% na produtividade da cereja na campanha de 2020

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Instituto Nacional de Estatística (INE) diz que a campanha da cereja foi “bastante afectada por condições meteorológicas adversas” e estima uma redução de 60% na produtividade, face a 2019.

Segundo o Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Junho de 2020, a cereja, “cultura bastante sensível às condições meteorológicas, a produtividade foi particularmente afectada quando, no dia 31 de Março e em plena fase de floração/polinização das variedades intermédias/de estação/tardias, ocorreu queda de neve numa das principais zonas de produção (Cova da Beira)”.

Segundo os técnicos do INE, esta circunstância “comprometeu o vingamento dos frutos com a deficiente polinização e limpeza da flor, mas não afectou significativamente as variedades precoces, que já estavam em fases mais adiantadas”.

No entanto, os dias de temperaturas anormalmente baixas, a formação de geada e a intensa precipitação da primeira quinzena de Abril, provocaram “elevados estragos nestas variedades, com grande parte da produção a ficar fendilhada ou sem poder de conservação (e, consequentemente, sem interesse comercial)”.

Chuvas, granizos e ventos fortes

A agravar toda esta situação, a intempérie de 31 de Maio, com chuvas, granizos e ventos fortes, provocou estragos em muitos dos frutos que tinham conseguido vingar e amadurecer.

Alguns agentes deste sector, que nesta época estariam a empregar dezenas de trabalhadores na apanha da cereja, não estão a recrutar (por não ser economicamente rentável) ou têm as equipas reduzidas à mão-de-obra que habitualmente presta outros tipos de serviços agrícolas nas explorações. Estima-se uma redução de 60% na produtividade, face a 2019.

Pêssego

Quanto ao pêssego, acrescenta o Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Junho de 2020 que a forte precipitação do final de Maio agravou o cenário que já apontava para diminuição da produtividade em resultado das condições meteorológicas atípicas de Abril. Prevê-se que o rendimento unitário ronde as 9,1 toneladas por hectare, 20% abaixo da alcançada na campanha anterior.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Comportamento emocional em organismos-modelo aquáticos revisto por investigadores da Universidade de Évora

Partilhar            Os investigadores do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE-UE) da Universidade de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.