Início / Agricultura / Grupo RAR fecha 2016 com lucros de 7,4 milhões de euros

Grupo RAR fecha 2016 com lucros de 7,4 milhões de euros

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Grupo RAR fechou o exercício de 2016 com um volume de negócios de 831 milhões de euros e o EBITDA situou-se nos 57 milhões de euros, um crescimento de 43,5% face ao ano anterior. Os resultados líquidos cifraram-se em 7,4 milhões de euros.

O exercício de 2016 confirmou o percurso de recuperação dos níveis de rentabilidade operacional e de resultados líquidos e a diminuição do endividamento que o Grupo RAR vem a registar nos últimos anos. A melhoria do desempenho do Grupo foi sobretudo sustentada pelos negócios da Colep e da Vitacress, mas também pela RAR Açúcar, que registou um progresso significativo face a anos precedentes.

“Tendo sido seguida uma estratégia de consolidação dos investimentos realizados, estão hoje estabelecidas as bases para um crescimento sustentado que permite ambicionar o reforço das posições de liderança detidas nos principais mercados e áreas de actuação das empresas do Grupo RAR”, dizem os responsáveis pela empresa no relatório e contas da da RAR Holding.

A Colep teve um ano muito positivo na sua operação europeia, com a divisão de packaging a atingir novamente valores recorde e a divisão de consumer products a registar um incremento alicerçado numa forte relação com clientes multinacionais. A operação do Brasil foi alvo de uma profunda reestruturação das unidades locais, cujos efeitos o Grupo RAR prevê que conduzirão a uma situação de exploração positiva já em 2017. No México, registou um significativo crescimento das vendas, de 42 milhões de pesos mexicanos em 2015 para 87 milhões. Nos Emirados Árabes Unidos, as vendas cresceram cerca de 15%. A Colep fechou o exercício de 2016 com vendas consolidadas de 464 milhões de euros e com um EBITDA de 43 milhões de euros.

Vitacress em crescimento

A Vitacress teve um desempenho geral positivo, fechando o ano de 2016 com um volume de negócios de 110 milhões de libras (134 milhões de euros). A empresa manteve o seu trajecto de progressão nos negócios de saladas e ervas aromáticas frescas, tendo a marca Vitacress aumentado significativamente a sua presença e notoriedade no mercado português. O programa de investimentos em curso “tem vindo a reforçar a eficiência e a qualidade dos processos. A operação de ervas aromáticas frescas no Benelux, em parceria com o grupo Gipmans, tem registado um bom progresso, reforçado pelas perspectivas de negócio na Alemanha”, adianta a mesma fonte.

A RAR Açúcar “teve uma inflexão muito positiva na sua actividade, com as margens a recuperar e um volume recorde de refinação”, diz o mesmo relatório. Terminou o exercício de 2016 com um volume de negócios de 99 milhões de euros, uma “clara demonstração de recuperação dos níveis de actividade que foi acompanhada por redução dos custos fixos, aumento da eficiência e uma correta gestão das compras de matéria-prima e das vendas, o que se reflectiu positivamente nas margens do negócio. O exercício de 2017 trará novos desafios com a alteração do regime europeu que regula o sector açucareiro e que irá aprofundar ainda mais a grande desvantagem dos refinadores face aos produtores de açúcar de beterraba”, explicam os responsáveis pelo Grupo RAR.

Quanto à Acembex, apesar de ter registado um decréscimo no seu volume de negócios, devido à baixa dos preços das matérias-primas, manteve a liderança na importação de cereais e uma posição de “referência junto dos operadores de pet food europeus, a quem fornece matérias-primas nacionais e de outras origens. Com uma quota de 20% do mercado português, a Acembex movimentou 750 mil toneladas de cereais e seus derivados e terminou o ano com um volume de negócios de 131 milhões de euros”, pode ler-se no mesmo relatório.

Por último, a RAR Imobiliária aproveitou a retoma do sector, tendo sido vendidos ou arrendados quase todos os apartamentos do projecto “Edifício do Parque” e vendidos alguns activos no centro do Porto. A empresa terminou o exercício de 2016 com um volume de negócios de 4 milhões de euros.

O Grupo RAR, um dos principais grupos económicos portugueses, integra um portefólio de negócios diversificado que inclui as áreas de embalagem, alimentar, imobiliária e serviços. Com vendas de 831 milhões de euros e 4.580 colaboradores, o Grupo RAR está presente em Portugal, Alemanha, Brasil, Emirados Árabes Unidos, Espanha, México, Polónia e Reino Unido.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Maria do Céu Albuquerque anuncia 3 M€ para armazenamento de Vinho do Porto

Partilhar            A ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, reuniu hoje, 8 de Julho, em Lisboa …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.