Início / Mar / Ambiente / Grupo Costa e Proman unem-se para descarbonizar sector dos cruzeiros

Grupo Costa e Proman unem-se para descarbonizar sector dos cruzeiros

O Grupo Costa, parte da Carnival Corporation e o principal operador de cruzeiros da Europa, com as duas marcas Costa Cruises e AIDA Cruises, assinou um memorandum de entendimento com a Proman, o principal produtor de metanol, para impulsionar a implementação do metanol como combustível marinho para o sector de cruzeiros.

A parceria visa acelerar a transição energética e a descarbonização da frota existente, através do fornecimento de metanol sustentável, abrindo caminho para a adaptação das embarcações existentes para operarem com combustível limpo, além do investimento em novas construções alimentadas com metanol, refere um comunicado conjunto das duas empresas.

O memorandum de entendimento reafirma o potencial do metanol para desempenhar um papel fundamental na redução contínua das emissões de gases com efeito de estufa no sector dos cruzeiros e noutros segmentos do transporte marítimo.

“Com uma combustão mais limpa que praticamente elimina os poluentes transportados pelo ar, como material particulado e óxidos de enxofre, o metanol está amplamente disponível e é cada vez mais produzido através de vias de baixo teor de carbono, biogénicas ou baseadas em hidrogénio. Quando utilizado em células de combustível, o metanol tem o potencial de permitir um ciclo de vida sem emissões num futuro próximo”, realça o mesmo comunicado.

Redução de gases com efeito de estufa

E acrescenta que “o metanol está a converter-se como um dos principais combustíveis alternativos para alcançar os objectivos de redução de gases com efeito de estufa, devido às suas propriedades de fácil utilização, tornando-se atractivo tanto para novas construções como para a renovação de navios existentes”.

Ao tratar-se de uma das matérias-primas químicas mais comercializadas, a infra-estrutura para o abastecimento de navios pode ser adaptada a partir das infra-estruturas existentes. Todas as formas de metanol, quer sejam baseadas em gás natural, de baixo carbono ou renováveis, podem ser misturadas independentemente das vias de produção. Portanto, “permite uma forma de transição segura para os actuais navios de cruzeiro totalmente neutros em emissões de gases com efeito de estufa, num futuro próximo”.

“A tecnologia para adaptar um navio de modo a utilizar o metanol como combustível já está disponível. Os nossos produtos de metanol podem facilitar a transição para combustíveis de baixa intensidade de carbono. Os navios movidos a metanol, apresentam um historial comprovado de redução e eliminação das principais emissões de gases com efeito de estufa, o que pressupõe uma melhoria imediata na qualidade do ar nos principais portos e rotas marítimas. Estamos entusiasmados por trazer a nossa experiência ao longo de toda a cadeia de valor do metanol para ajudar a concretizar as ambições do Grupo Costa”, diz Tim Cornelius, director geral de desenvolvimento corporativo da Proman.

Gás natural liquefeito

Ao longo dos anos, o Grupo Costa tem liderado a inovação sustentável no sector mundial de cruzeiros, sendo pioneiro em tecnologias avançadas a bordo dos seus navios novos e existentes. A empresa foi a primeira a introduzir a propulsão por gás natural liquefeito (GNL) para a redução de emissões, com quatro navios em operação na frota do Grupo.

A maioria dos seus navios está equipada com capacidades de energia em terra para zero emissões nos portos onde a tecnologia está disponível, e a empresa também realizou os primeiros testes em biocombustíveis. Com a actual parceria com a Proman, o Grupo Costa “demonstrou que a transição de combustível na indústria naval é possível através de uma forte colaboração da indústria e visões partilhadas para um futuro sustentável”, frisa o mesmo comunicado.

“Estamos a reduzir a pegada de carbono da nossa frota tanto no porto como no mar, investindo em tecnologias ambientais avançadas e realizando parcerias com empresas como a Proman, que partilham a paixão pela transição energética sustentável. Ao permitir que os navios de cruzeiro utilizem metanol como combustível de propulsão, a Costa prossegue a sua ambição de dar o próximo grande passo em direção à neutralidade de GEE nas operações da nossa frota até 2050”, refere Christoph Schladoer, vice-presidente de descarbonização do Grupo Costa.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Syngenta amplia centros de inovação de sementes hortícolas em Almeria e Múrcia

Partilhar              A Syngenta inaugurou hoje, 17 de Fevereiro, as instalações renovadas dos seus centros de I+D …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.