Início / Agricultura / GPP esteve nos lagares de azeite. Portugal produziu 130 mil toneladas em 2017/2018

GPP esteve nos lagares de azeite. Portugal produziu 130 mil toneladas em 2017/2018

O GPP — Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral já concluiu o seu inquérito aos lagares de azeite. Estima-se que nesta campanha o volume de produção nacional de azeite se situe entre 125 mil e 130 mil toneladas.

O estudo cobriu uma amostra de 141 lagares que, nas últimas campanhas, representaram 90% da produção total nacional deste produto. Os resultados apresentados reportam-se a 137 lagares que responderam ao inquérito.

Extrapolando o volume de azeite extraído pelos 137 lagares para a totalidade dos lagares em laboração no país, estima-se que nesta campanha o volume de produção nacional de azeite se situe entre 125 mil e 130 mil toneladas.

Peso do Alentejo subiu para 78%

Os resultados deste inquérito mostram que o peso da região Alentejo na produção nacional de azeite subiu de 75%, na campanha 2016-2017, para 78%, na campanha 2017-2018. Em contrapartida, o peso da região Norte desceu de 15,5% para 11%.

Para o atingir deste volume de produção, contribuiu a conjugação dos seguintes factores tais como o facto de o ano de 2017 ter sido de safra e a seca meteorológica, que se prolongou ao longo de todo o ciclo de desenvolvimento vegetativo dos olivais, ter reduzido em extremo a ocorrência de pragas e de problemas fitossanitários.

Por outro lado, adianta o GPP, o olival de sequeiro está bem adaptado à escassez de água e aumentou a área de olival intensivo e superintensivo em produção, nomeadamente na região Alentejo (olival de regadio).

Outro dos factores foi o aumento da quantidade total de azeitona colhida e laborada nos lagares e a seca meteorológica, já referida, ter proporcionado a redução do teor de água nas azeitonas e o aumento do teor de gordura nas mesmas.

Saliente-se que o rendimento médio das azeitonas oleificadas foi elevado (16,2%) e significativamente superior aos rendimentos das últimas campanhas.

Os resultados os resultados definitivos dos Inquéritos aos Lagares de Azeite e aos Industriais de Azeitona de Mesa relativos à campanha 2017-2018 já se encontram publicados na página web do SIAZ — Sistema de Informação sobre o Azeite e a Azeitona de Mesa (aqui).

10% da azeitona para conserva colhida não chegou à indústria

Relativamente ao inquérito aos Industriais de Azeitona de Mesa e considerando que 10% da azeitona para conserva colhida não chegou à indústria, mas foi auto-consumida ou conservada artesanalmente, estima-se que, em 2017, o volume total de azeitona colhida para conserva nos olivais portugueses foi de 25,2 mil toneladas.

Explicam os técnicos do SIAZ que “a fileira oleícola é uma fileira estratégica na política agrícola e na economia portuguesas. No quadro do fim do regime de apoios ligados à produção, um dos aspectos mais sensíveis para a regulação do sector oleícola e uma das maiores preocupações é a transparência do mercado, que era assegurada pelos mecanismos de comunicação de informação associados ao próprio sistema de ajudas”.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

40% dos produtos alimentares com rotulagem nutricional simplificada utiliza o Nutri-Score

Partilhar              A maioria dos produtos alimentares que já apresentam um sistema de rotulagem nutricional simplificada utiliza …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.