Início / Agricultura / Governo dos Açores pretende “certificar” os solos da Região como “elemento de confiança e credibilidade”

Governo dos Açores pretende “certificar” os solos da Região como “elemento de confiança e credibilidade”

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O secretário Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural, António Ventura, anunciou hoje, 14 de Outubro, em Angra do Heroísmo, que o Governo dos Açores pretende “certificar” os solos da Região como “elemento de confiança e credibilidade”, prevendo, por isso, aumentar as verbas destinadas à análise de solos e formação de agricultores em 2022, num reforço de 188 mil euros com recurso a fundos comunitários.

“Para o ano, queremos aumentar este valor no âmbito dos 188 mil euros, não só no que respeita às análises, mas também na formação”, adiantou António Ventura, que falava à margem da assinatura de um protocolo com a Universidade dos Açores no âmbito da necessidade das análises do solo.

Segundo uma nota de imprensa do Executivo açoriano, em 2021, o montante atribuído pelo Governo Regional foi de 40 mil euros, mas o governante adiantou que no Plano de Recuperação e Resiliência do próximo ano, o Executivo vai destinar uma verba maior à análise de solos e seu respectivo acompanhamento, estando também prevista uma formação nesta área para agricultores e técnicos dos serviços agrários.

“Este recurso endógeno não é renovável”

“Os consumidores têm de saber que, no processo produtivo, há um respeito por este recurso endógeno que não é renovável e que queremos aproveitar só o necessário”, frisou António Ventura.

“Não basta dizer que a Universidade dos Açores tem de se abrir à sociedade e aos processos produtivos, no caso da agricultura, é preciso também que a Secretaria Regional da Agricultura tenha essa disponibilidade e vontade e faça a ponte com a Universidade dos Açores”, reforçou o secretário Regional.

O governante revelou ainda que a análise dos solos já é “uma prática recorrente” na Região, mas defendeu que é preciso reforçá-la e promover um acompanhamento dos agricultores, por parte dos investigadores da academia açoriana.

“Para além dos resultados, é preciso uma explicação técnica desses resultados e uma informação mais prática ao agricultor. Essa informação é dada pelas associações e pela Universidade dos Açores, mas é necessário que essa informação seja mais regular e mais formada e é nesse sentido que vamos criar também um plano de formação”, acrescentou.

Para o responsável pela pasta da agricultura, “a articulação entre agricultores e investigadores é fundamental, até porque a Universidade dos Açores tem já muita investigação aplicada e muito conhecimento adquirido nesta área”.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

Petição contra a alteração da idade para assistir ou participar em touradas está a chegar aos 18 mil subscritores

Partilhar              O Conselho de Ministros aprovou no dia 14 de Outubro o decreto-lei que altera a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.