Início / Featured / Furacão Ophelia: agravamento do estado do mar nos Açores a partir de sábado

Furacão Ophelia: agravamento do estado do mar nos Açores a partir de sábado

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Marinha e a Autoridade Marítima Nacional alertam a comunidade marítima nos Açores que se encontra no mar a Sul das ilhas dos grupos Central e Oriental, bem como a toda a população em geral em especial das ilhas dos grupos Oriental que frequente as zonas costeiras, para a previsão de agravamento do estado do mar por influência do furacão Ophelia, a partir da madrugada de amanhã, 14 de Outubro.

A actual previsão do IPMA — Instituto Português do Mar e da Atmosfera referente à provável ocorrência de forte agitação marítima dos quadrantes Sul, com altura significativa que pode chegar aos 8 metros nas áreas marítimas afastadas de costa a Sul dos grupos central e oriental do arquipélago dos Açores, estará associada igualmente a ventos muito fortes dos quadrantes sul até 50 nós, em especial a partir da madrugada de sábado, 14 de Outubro, refere um comunicado da Marinha.

“Assim, à população em geral das ilhas do grupo oriental,  recomenda-se que se abstenham da prática de passeios junto à costa e praias da vertente Sul,  bem como da prática de actividades lúdicas nas zonas expostas à agitação marítima”, salienta o mesmo comunicado.

Aos pescadores lúdicos de pesca à cana, a Marinha aconselha “cautela, evitando pescar junto a zonas de arriba nas frentes costeiras atingidas pela rebentação das ondas”.

Atitude vigilante

Caso exista absoluta necessidade de se deslocar até à orla costeira, “deverá manter-se uma atitude vigilante e ter sempre presente que nesta condições extremas o mar pode facilmente alcançar zonas aparentemente seguras. À comunidade marítima recomenda-se a adopção de medidas de precaução, verificando e se necessário reforçando a amarração das embarcações quando atracadas, ou mesmo varando em lugar seguro as embarcações de pequena dimensão”, continua a mesma missiva.

À comunidade marítima que se encontre em actividade no mar aconselha-se o eventual regresso ao porto de abrigo mais próximo ou que navegue de preferência para uma área mas afastada do epicentro da passagem do furacão.

Aconselha-se igualmente que mantenham um  estado de vigilância permanente e o acompanhamento da evolução da situação meteorológica e dos avisos à navegação promulgados pela Marinha relativos à previsão meteorológica do IPMA e outras informações sobre as condições de acesso aos portos, junto das capitanias dos portos, evitando sair para o mar até que as condições melhorem. Os marítimos deverão em especial escutar os avisos radiodifundidos através do Centro de Coordenação e Busca e Salvamento marítimo de Ponta Delgada (MRCC Delgada).

A Marinha salienta que as linhas de emergência dos Centros de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada e de Lisboa (MRCC Delgada tlf. 296 281 777 e MRCC Lisboa, tlf. 214 401 919), os meios navais da Marinha e os meios marítimos da Autoridade Marítima Nacional, designadamente das Estações Salva-Vidas, “encontram-se em permanente alerta e em prontidão para responder a pedidos de socorro no mar”.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Empresa polaca de casas de madeira pré-fabricadas procura fornecedores de matéria-prima

Partilhar            Uma empresa polaca, especialista no fabrico e distribuição de casas de madeira pré-fabricadas, está à …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.