Início / Agricultura / Fungicida Ortiva e herbicida Rifit da Syngenta obtêm autorização excepcional de emergência

Fungicida Ortiva e herbicida Rifit da Syngenta obtêm autorização excepcional de emergência

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A DGAV — Direcção Geral de Alimentação e Veterinária concedeu uma Autorização Excepcional de Emergência (AEE), por 120 dias, ao fungicida Ortiva da Syngenta para controlo de antracnose (Colletotrichum coccodes) da batateira.

De acordo com a autorização concedida pela DGAV, a pedido da Porbatata – Associação da Batata de Portugal, o tratamento com Ortiva deve ser realizado à plantação, com aplicação na linha de sementeira à dose de 3L/ha e com baixo volume de calda (80 – 150L/ha). Está autorizada uma aplicação durante a campanha.

O Ortiva é um fungicida de largo espectro à base de azoxistrobina, actuando no controlo preventivo dos fungos em diversas culturas.

Herbicida Rifit

Também o herbicida Rifit da Syngenta obteve uma Autorização Excepcional de Emergência para o controlo das infestantes Alisma spp., Heteranthera spp., Echinochloa spp. e Cyperus spp na cultura do arroz.

O Rifit pode ser aplicado uma vez durante a campanha em pré-sementeira, à dose de 2-2,5 L/ha, ou em pós-emergência, até á 3.ª folha verdadeira (BBCH 08-13), à dose de 2 L/ha. O volume de calda aconselhado é 200-300 L/ha.

A autorização foi concedida pela DGAV, a pedido da Orivarzea — Orizicultores do Ribatejo, por um período de 120 dias.

O Rifit é um herbicida selectivo formulado com uma nova substância activa – o Pretilaclor – que pertence a uma nova família química (grupo K3) e foi usado pela primeira vez na cultura do arroz em Portugal, em 2019, através da 1.ª AEE.

“Recorde-se que 74% dos herbicidas que se aplicam em Portugal na cultura do arroz pertencem aos grupos químicos A e B, aos quais algumas infestantes já desenvolveram resistências. O Rifit é uma boa ferramenta para uso numa estratégia anti-resistências, em uso alternado com herbicidas de outras famílias químicas”, explica Gilberto Lopes, field expert da Syngenta.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Ministra da Agricultura na apanha da cereja no Fundão: Comissão Técnica vai reunir para adaptar seguros de colheita à necessidade dos agricultores

Partilhar            Maria do Céu Albuquerque, visitou, esta manhã, 22 de Maio, uma exploração e uma organização …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.