Início / Apoios e Oportunidades / Apoios Comunitários / Fundo Azul tem candidaturas abertas parta criação de plataforma de gestão de dados do Atlântico

Fundo Azul tem candidaturas abertas parta criação de plataforma de gestão de dados do Atlântico

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Fundo Azul tem tem candidaturas abertas ao apoio à criação de uma Plataforma Integrada de Gestão de Dados do Atlântico. As candidaturas devem ser apresentadas, em português, entre até 30 de Novembro de 2018.

Segundo o Edital Nº8 / 2018 da DGPM – Direcção-Geral de Política do Mar, a apresentação das candidaturas efectua-se através da submissão para o endereço electrónico fundoazul@dgpm.mm.gov.pt, de formulário próprio disponível no site da DGPM, em www.dgpm.mm.gov.pt (sub-menu «Fundo Azul»).

Os candidatos devem preencher o formulário de candidatura, de acordo com as orientações fornecidas no “Manual de Procedimentos do Promotor”, disponível aqui.

Tipologia de operações e prioridades

O anúncio destina-se ao financiamento de projectos no âmbito da investigação científica e tecnológica com foco na economia do mar. Neste sentido, visa financiar projectos de Investigação, Inovação & Desenvolvimento cujo foco esteja na conceptualização de novos sistemas de gestão, integração, processamento e disponibilização de dados sobre o ambiente marinho, designadamente através:

  • da harmonização de dados e informação sobre o oceano que as diversas entidades nacionais e internacionais (livre-acesso) possuem;
  • da definição de um único sistema de gestão ambiental integrada que facilite a partilha, a pesquisa e o acesso aos dados existentes sobre o Atlântico, nomeadamente sobre a coluna de água, os fundos marinhos e as zonas costeiras, incluindo os portos;
  • do desenho da arquitectura de um sistema que integre e contemple todo o Atlântico, integrando toda a informação dispersa por diversas entidades públicas e centralizando-a numa única plataforma tecnológica.

Objectivos

Refere o Edital da Direcção-Geral de Política do Mar que, num País como Portugal, que deterá uma das mais extensas áreas marítimas do Mundo, é expectável que se procure fazer da “Economia do Mar” um motor fundamental do desenvolvimento económico e social do País.

“A extensão da plataforma continental poderá aumentar o espaço marítimo português levando a que 97% do seu território esteja localizado no mar, trazendo uma dimensão económica e geográfica que o País até agora nunca teve”, frisa aquela Direcção.

Zona Económica Exclusiva (ZEE) de 200 milhas

Os espaços marítimos sob soberania ou jurisdição nacional – o Mar Territorial, as Águas Interiores, a Zona Económica Exclusiva (ZEE) de 200 milhas e a plataforma continental estendida no âmbito da proposta apresentada pelo Governo português às Nações Unidas – constituem um dos principais activos para o futuro desenvolvimento do País.

Os recursos que estes espaços encerram – biológicos, genéticos, minerais, energéticos, entre muitos outros – abrem perspectivas de transformação económica para Portugal.

Pode ler o Edital Nº8 / 2018 aqui.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Let’s Talk About Pork: União Europeia desmistifica mitos sobre a carne de porco

Partilhar            A Comissão Europeia acaba de lançar uma campanha de comunicação, a Let’s Talk About Pork …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.