Início / Agricultura / Focos de Gripe Aviária diminuem mas DGAV alerta: é improvável que tenha cessado por completo

Focos de Gripe Aviária diminuem mas DGAV alerta: é improvável que tenha cessado por completo

A DGAV — Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária, em virtude da evolução positiva dos focos de Gripe Aviária, decidiu rever a medida de confinamento obrigatório imposta às aves domésticas, detidas em instalações localizadas nas zonas de alto risco para a introdução de vírus da gripe aviária.

Assim, a medida prevista no n.º 1 do Edital n.º 18 da Gripe Aviária de Alta Patogenicidade (GAAP) foi levantada. A medida determinava: “as aves de capoeira e aves em cativeiro detidas em estabelecimentos, incluindo detenções caseiras, localizadas nas zonas de alto risco para a GAAP, deverão permanecer confinadas aos respectivos alojamentos de modo a impedir o seu contacto com aves selvagens. Assim, esta medida deixa de ser aplicável à totalidade do território continental”.

Hoje, 18 de Maio, a DGAV emitiu o Edital n.º 19 da Gripe Aviária de Alta Patogenicidade (GAAP) no qual refere que “a partir do final do mês de Abril de 2022 verificou-se uma melhoria gradual da situação epidemiológica da GAAP, nomeadamente uma diminuição acentuada do número de focos de doença notificados no território da União Europeia”.

No entanto, realça que “apesar da melhoria da situação epidemiológica da doença, habitual nesta época do ano, é improvável que a circulação de vírus da GAAP tenha cessado por completo, podendo manter-se, ainda que em menor grau, na população das aves selvagens estivais e residentes pelo que a DGAV apela a todos os detentores de aves que cumpram com rigor as medidas de biossegurança e das boas práticas de produção avícola, que permitam evitar contactos directos ou indirectos entre as aves domésticas e as aves selvagens”.

Assim, considerando que o factor de risco mais importante para a ocorrência desta doença nas aves domésticas é o contacto directo ou indirecto com aves selvagens, diz a DGAV que a implementação e o cumprimento estrito de medidas rigorosas e adequadas de biossegurança, incluindo procedimentos de higiene de instalações, equipamentos e materiais e o controlo dos acessos aos estabelecimentos onde são mantidas as aves, permanece imprescindível para a salvaguarda da saúde e bem-estar das mesmas.

A gripe aviária é uma doença infecciosa viral que atinge aves selvagens, de capoeira e outras aves mantidas em cativeiro. As infecções por vírus da gripe aviária apresentam-se em duas formas, os vírus de baixa patogenicidade provocam apenas sinais ligeiros de doença, enquanto os vírus de alta patogenicidade provocam mortalidade muito elevada, especialmente nas aves de capoeira.

Esta doença tem um impacto importante na saúde das aves domésticas e selvagens, bem como na produção avícola, uma vez que constitui motivo de suspensão da comercialização de aves vivas e seus produtos nas zonas afectadas.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Cotações – Cereais – Informação Semanal – 13 a 19 Junho 2022

Partilhar              Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas Cereais Outono-Inverno Esta semana foi dada …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.