Início / Agricultura / Fim do período sazonalmente livre de vector determina novas regras para a Língua Azul dos ovinos

Fim do período sazonalmente livre de vector determina novas regras para a Língua Azul dos ovinos

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Chegou ao fim o período sazonalmente livre de vector da Língua Azul dos ovinos. Assim, a DGAV – Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária publicou o Edital n.º 44, no qual faz a adequação das regras de movimentação animal nas áreas sujeitas a restrições. Aquela Direcção alerta para o facto de a vacinação continuar a ser obrigatória.

A língua azul ou febre catarral ovina é uma doença epizoótica de etiologia viral que afecta os ruminantes, com transmissão vectorial, incluída na lista de doenças de declaração obrigatória nacional e europeia e na lista da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

As medidas de controlo dos diferentes serotipos do vírus da língua azul têm-se baseado em programas de vigilância, em programas de vacinação e no controlo da movimentação dos animais das espécies sensíveis, medidas estas que têm sido adaptadas no tempo, em função da evolução epidemiológica da doença, explica o Edital.

Encontram-se estabelecidos dois tipos de zonas de restrição: uma zona de restrição para o serotipo 1 do vírus da língua azul que abrange a totalidade do território de Portugal Continental e uma zona de restrição para o serotipo 4 do vírus da língua azul, que abrange a região do Algarve.

Vacinação obrigatória

A vacinação obrigatória do efectivo ovino reprodutor adulto e dos jovens destinados à reprodução tem sido a medida adoptada para suster a progressão da doença nas zonas onde existem indícios de circulação viral.

“Da análise de risco efectuada, através da monitorização dos dados do plano de vigilância, da avaliação dos indicadores meteorológicos e dos dados históricos do plano entomológico, verifica-se que estão reunidas as condições para o reinício da actividade continuada do vector preferencial para a transmissão do vírus da língua azul no território nacional continental”, pode ler-se no documento.

As áreas das regiões autónomas dos Açores e da Madeira constituem uma zona livre de língua azul.

Mais informações sobre a doença da Língua Azul dos ovinos aqui.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Agricultores do distrito de Leira marcam manif em Lisboa para 14 de Junho, dia de reunião de ministros da Agricultura da UE

Partilhar            A União dos Agricultores do Distrito de Leira (UADL) e a Confederação Nacional da Agricultura …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.