Início / Agricultura / Fencaça: proibição da caça à rola-comum “pode levar a maior diminuição da espécie em Portugal”

Fencaça: proibição da caça à rola-comum “pode levar a maior diminuição da espécie em Portugal”

O Governo decidiu proibir a caça à rola-comum (Streptopelia turtur) até 2024, como medida de protecção temporária da espécie, seguindo as recomendações da Comissão Europeia. O objectivo é aumentar a população de rola-comum, mas o presidente da Fencaça – Federação Portuguesa de Caça, Jacinto Amaro, considera que tal medida “pode levar a uma maior diminuição da espécie em Portugal”.

Isto porque, explica Jacinto Amaro, em declarações à Revista Agricultura e Mar, “a população tem diminuído na Península Ibérica, é um facto, mas isso não se deve à caça. Até agora os caçadores plantavam cereais para dar de comer às rolas. Com esta medida, devem deixar de o fazer e as rolas passam a escolher outras rotas. Às vezes pode ser pior a emenda que o soneto”.

Para o presidente da Fencaça, a diminuição da espécie em Portugal já vem de longe. “Desde que Portugal entrou na União Europeia, com a Política Agrícola Comum, os agricultores deixaram de cultivar cereais, porque não são culturas competitivas. Trigo, oleaginosas como o girassol, triticale ou centeio, tudo se deixou de semear. Ao mesmo tempo, Marrocos e Argélia começaram a plantar cereais em massa. E continuam a caçar a rola-comum, que, em Marrocos, até é considerada uma praga; matam rolas na altura em que estão a nidificar”.

E acrescenta Jacinto Amaro que “algumas rolas ainda vinham para cá porque os caçadores se substituíram aos agricultores e têm sido eles a fazer sementeiras para a caça e a colocar comedouros para as rolas. Com esta medida, certamente que a maior parte das zonas de calça deixam de fazer esse investimento”.

Vão seguir esta recomendação da Comissão Europeia, de proibição de caça à rola-comum, Espanha, Itália, Grécia e Chipre. O governo de Malta já fez saber que não vai acatar a recomendação.

Proibição até 2024

Segundo a Portaria n.º 161/2022, de 20 de Junho, assinada pelo secretário de Estado da Conservação da Natureza e Florestas, João Paulo Catarino, “as populações de rola-comum (Streptopelia turtur), embora tenham revelado uma recente estabilidade populacional, na sequência da interdição de caça nos países atravessados pela rota migratória ocidental, não alcançaram ainda as condições aprovadas para o levantamento da moratória”.

E acrescenta que considerando a recomendação de interdição de caça à rola-comum por parte da Comissão Europeia “e a importância do esforço supranacional na recuperação da espécie, deve Portugal adoptar igual medida de protecção e manter a interdição de caça até ao final do actual calendário venatório”.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

PS Açores acusa Governo Regional de falhas na gestão das quotas pesqueiras

Partilhar              O Partidos Socialista (PS) dos Açores entregou um requerimento ao Governo Regional dos Açores, intitulado …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.