Início / Agricultura / Fenadegas pede ao Governo que garanta o “controlo efectivo dos vinhos importados”

Fenadegas pede ao Governo que garanta o “controlo efectivo dos vinhos importados”

A Fenadegas — Adegas Cooperativas de Portugal, apesar do seu alerta quando divulgou o resultado do inquérito que lançou a todas as Adegas Cooperativas de Portugal, em 13 de Abril, “continua muito preocupada com o controlo efectivo dos circuitos comerciais dos vinhos importados”.

Por isso, a Fenadegas acaba de enviar uma carta ao ministro da Economia e Transição Digital, com conhecimento à ministra da Agricultura e ao Presidente do Instituto da Vinha e do Vinho, onde manifesta essa preocupação, solicitando que as entidades competentes “garantam o controlo efectivo dos vinhos importados e o seu cabal acompanhamento”.

“Depreciação continua e significativa de preços”

“Com efeito, a actual situação de mercado interno, com uma enorme quebra de vendas, motivada não só pela normal retracção do nosso mercado, face ao encerramento da restauração e de grande parte dos circuitos de distribuição, como ainda, pelas dificuldades sentidas na exportação, é geradora duma depreciação continua e significativa de preços”, refere um comunicado da Federação presidida por Basto Gonçalves.

Tal realidade, diz o mesmo comunicado, pode ainda “ser potenciada por importações oportunistas e especulativas de vinhos, penalizando fortemente o sector e, nomeadamente, o tecido cooperativo”.

Defender a genuinidade e qualidade do Vinhos de Portugal “é também uma forma de garantir o futuro do sector e obstar a que vinhos de países terceiros venham a ser objecto de uma qualquer ajuda aprovada para o sector do vinho em Portugal, prejudicando todo o sector”, frisa a Fenadegas.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Projecto InfraVini organiza webinar Gestão do Impacto das Alterações Climáticas na Vinha

Partilhar               O webinar “Gestão do Impacto das Alterações Climáticas na Vinha”, organizado âmbito do projecto …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.