Início / Agricultura / Feira do Fumeiro de Montalegre teve pela primeira vez produtos com Identificação Geográfica Protegida

Feira do Fumeiro de Montalegre teve pela primeira vez produtos com Identificação Geográfica Protegida

A XXXI Feira do Fumeiro de Montalegre contou pela primeira vez com produto certificado. “Um trunfo de relevo para a valorização, preservação e protecção do Fumeiro de Montalegre, com a Identificação Geográfica Protegida (IGP) a renascer”, refere a autarquia de Montalegre.

O trabalho desenvolvido é fruto do projecto “Fumeiro e Presunto de Montalegre – Qualificar, Diferenciar e Posicionar”, promovido pela Associação dos Produtores de Fumeiro e Terra Fria Barrosã (APFTFB), em estreita colaboração com o município de Montalegre, com o apoio técnico da Ruris e sob o controlo e certificação da Kiwa Sativa, no âmbito do qual se desenvolveu com os produtores todo este processo de qualificação.

Ao todo, refere uma nota de imprensa da Câmara Municipal de Montalegre, são cinco produtos que passam a deter a chancela de excelência e que entram na rota da comercialização com a assinatura de produtores de Fumeiro de Montalegre.

Os produtos IGP

A saber: Alheira de Barroso-Montalegre IGP, Chouriça de Carne de Barroso-Montalegre IGP, Chouriço de Abóbora de Barroso-Montalegre IGP, Salpicão de Barroso-Montalegre IGP e Sangueira de Barroso-Montalegre IGP.

O objectivo passa por “continuar a sensibilizar os produtores para a importância da certificação, por forma a que o número de produtos certificados possa continuar a crescer”, salienta a mesma nota. A chancela de qualidade IGP que estes produtos passam a exibir garante não só a origem da matéria-prima, os ingrediente e condimentos que são utilizados, mas também, o saber fazer tão característico deste território.

A autarquia de Montalegre relembra que há vários anos que os enchidos e o presunto de Montalegre detêm a Indicação Geográfica Protegida (IGP), apesar de não haver produtores a certificar. O processo foi, contudo, reavivado, quando em 2018 a Associação dos Produtores de Fumeiro e Terra Fria Barrosã (APFTFB) assumiu a gestão desta IGP, pela Secretaria de Estado do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.

Continuar a qualificar produtos

Desta forma, o objectivo passa por continuar a qualificar, um dos eixos do projecto “Fumeiro e Presunto de Montalegre – Qualificar, Diferenciar e Posicionar” que dá seguimento ao projecto que decorreu entre 2017 e 2019, que teve como prioridade a capacitação dos agentes da fileira e a promoção dos produtos e do território, explica a autarquia.

E acrescenta que o projecto “Fumeiro e Presunto de Montalegre – Qualificar, Diferenciar e Posicionar” junta cerca de 70 produtores, está em execução até 2023 e decorre de uma candidatura aprovada ao Sistema de Incentivos às Ações Colectivas, co-financiados pelo Norte 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Para além da capacitação e sensibilização para a qualificação aos produtores, o projecto prevê ainda um conjunto de acções de promoção para o posicionamento destes produtos de excelência no mercado nacional.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Balanças Marques faz balanço positivo de presença em feira no Egipto

Partilhar              A Balanças Marques foi uma das 5 empresas portuguesas a participar, conjuntamente com a Associação …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.