Início / Agricultura / Exportações de vinho crescem 14,5% com preço médio a subir 4,2% no primeiro semestre de 2021

Exportações de vinho crescem 14,5% com preço médio a subir 4,2% no primeiro semestre de 2021

As exportações dos vinhos portugueses tiveram, no primeiro semestre de 2021, um comportamento muito positivo, registando um acréscimo, tanto em valor como em quantidade, quando comparado com o período homólogo de 2020: 14,5% em volume, 19,3% em valor e 4,2% no preço médio.

O primeiro semestre encerra com as exportações de vinho nacional a totalizarem a 435.586 milhões de euros, mais 70.536 milhões de euros do que no ano passado, revelando uma maior valorização do produto português (+ 4,2% em média).

Este crescimento resulta do bom desempenho do sector no mercado comunitário, mas também nas exportações para países terceiros, realça uma nota de imprensa do Ministério da Agricultura, explicando que para o mercado comunitário, as exportações apresentaram um crescimento em volume (+14,6%), em valor (+19%) e preço médio (+3,8%).

Para os países terceiros, as expedições apresentaram um crescimento em volume (+14,4%), em valor (+19,6%) e preço médio (+4,6%).

Destinos de exportação

Para este resultado, a contribuição mais significativa foi registada nos mercados de França, Estados Unidos, Reino Unido, Brasil e Alemanha, que estão, assim, no top 5 dos mercados mais importantes.

A mesma nota do Ministério da Agricultura salienta que, apesar dos efeitos provocados pela pandemia Covid-19, as exportações do sector agroalimentar mantiveram um comportamento positivo ao longo do primeiro semestre de 2021. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), o complexo agroalimentar terminou o semestre a crescer 8,4% nas exportações face ao período homólogo de 2020.

No que respeita aos dados do complexo agroalimentar por tipo de produto – ao longo do primeiro semestre, quando comparado com o mesmo período de 2020 —, verifica-se que as exportações de “Plantas vivas e produtos de floricultura” (51,5%), de “Animais vivos” (51,3%) e de “Carnes, miudezas, comestíveis” (27,4%) foram alguns dos grupos de produtos que mais cresceram em percentagem.

Para a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, “este é mais um sinal da resiliência e capacidade de adaptação do sector à situação de grave crise sanitária que ainda atravessamos. O Ministério da Agricultura esteve sempre ao lado dos produtores e das empresas, com as medidas necessárias para garantir previsibilidade e estabilidade neste período de maior incerteza”.

Nos últimos meses, o Ministério da Agricultura anunciou a inclusão do sector do vinho na medida de apoio temporário excepcional aos agricultores e às PME, particularmente afectados pela crise da Covid-19, no valor de 8 milhões de euros, o apoio ao investimento orientado para o aumento da capacidade de armazenamento de vinho, a abertura, ao sector do vinho, de candidaturas à medida “3.3.1 – Investimento, transformação e comercialização de produtos agrícolas” e a abertura de candidaturas à destilação de crise, no valor de 10 milhões de euros.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 more

Verifique também

Produtores de leite da Póvoa de Varzim em risco de falência pedem para serem pagos ao preço mínimo de 38 cêntimos/litro

Partilhar             more  Caso não exista um aumento do preço do leite a breve prazo, toda a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.