Início / Agricultura / Europa propõe certificação electrónica para produtos biológicos importados

Europa propõe certificação electrónica para produtos biológicos importados

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Comissão Europeia (CE) propôs a criação de um novo sistema de certificação electrónica para produtos biológicos importados. A intenção é melhorar o rastreio destes alimentos e reduzir o risco de potenciais fraudes, informa a Comissão. Os novos certificados deverá estar no mercado em Abril de 2017, com um período de transição em que podem co-existir com os certificados em papel.

“Este sistema não vai proporcionar apenas una simplificação para os operadores, ou facilitar o comércio, mas aumentará a confiança dos consumidores nos produtos biológicos”, afirma o Comissário Europeu da Agricultura, Phil Hogan, em comunicado.

Em vigor em daqui a seis meses

Esta normativa começará a aplicar-se daqui a seis meses e dá resposta a uma série de recomendações do Tribunal de Contas de 2012 e à petição de diferentes Estados-membros que manifestaram as suas dificuldades em supervisionar os movimentos de produtos biológicos e a consistência dos certificados de controlo aquando da importação.

Tudo indica que o novo mecanismo deverá começar a aplicar-se em Abril de 2017 e que haverá um período de transição em que tanto a certificação electrónica como a em papel se poderão utilizar. O objectivo é que em Outubro de 2017 a importação de produtos biológicos esteja coberta apenas por um certificado electrónico.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

Cuidado com a queima de sobrantes florestais. GNR identifica homem de 78 anos por incêndio em Vila Real

Partilhar              O Comando Territorial de Vila Real da Guarda Nacional Republicana (GNR), através do Núcleo de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.