Início / Agricultura / Eurodeputados do PSD: Medidas extraordinárias da UE não são suficientes para os agricultores

Eurodeputados do PSD: Medidas extraordinárias da UE não são suficientes para os agricultores

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O eurodeputado Álvaro Amaro dirigiu hoje, 27 de Março, à Comissão Europeia uma pergunta escrita, subscrita pelos colegas do PSD, sobre a resposta da União Europeia ao sector agrícola, na sequência da crise gerada pela pandemia do Covid-19.

Para aqueles eurodeputados, as medidas extraordinárias apresentadas a nível comunitário e pelos Estados-membros não são suficientes para garantir que os agricultores possam continuar a produzir e garantir o suprimento alimentar da Europa.

Na missiva enviada à Comissão Europeia, os eurodeputados do PSD questionam a possibilidade de a Comissão dar flexibilidade aos Estados-membros para os controlos e pagamentos, como recentemente fez com a derrogação do prazo limite para a submissão das candidaturas às ajudas directas e a algumas ajudas associadas ao desenvolvimento rural.

Assegurar o fornecimento alimentar

“Está em causa a capacidade de os agricultores concentrarem esforços nas próximas campanhas, e desse modo, resistir à crise e assegurar o fornecimento alimentar dos meses futuros. Nesta fase, os agricultores têm de poder trabalhar com o mínimo de constrangimentos, e ter garantias da União que, quando esta crise passar, não terão de encerrar a actividade por questões burocráticas ou falta de pagamentos.”, afirma Álvaro Amaro, membro da Comissão da Agricultura.

Na interpelação à Comissão, os sociais-democratas, questionam ainda a possibilidade da criação de um programa específico de apoio para este sector, que inclua, por exemplo, linhas de crédito de emergência ou medidas de mercado.

“Apenas a agricultura e o abastecimento das cadeias mantêm a actividade com relativa normalidade. E isso acontece porque não podem parar. Não se pode parar o ciclo biológico das plantas e dos animais. Se estes são sectores prioritários, devemos tratá-los como tal”, reforçou Álvaro Amaro.

Ajudas directas

A 13 de Março, a Comissão Europeia estabeleceu a resposta coordenada da União Europeia para combater o impacto do coronavírus. Relativamente ao sector agrícola, a Comissão Europeia já derrogou o prazo limite para a submissão das candidaturas às ajudas directas e a algumas ajudas associadas ao desenvolvimento rural, e prorrogou o prazo de candidaturas ao Pedido Único 2020 (PU 2020) para o dia 15 de Junho de 2020.

A pergunta escrita à Comissão Europeia foi subscrita pelos eurodeputados do PSD: Paulo Rangel, Lídia Pereira, José Manuel Fernandes e Cláudia Monteiro de Aguiar.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Covid-19 leva a aumento de vendas de leite e iogurtes

Partilhar            O confinamento obrigatório devido à pandemia de Covid-19 levou a uma corrida dos consumidores aos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.