Início / Agricultura / EUA reabrem mercado a carne holandesa

EUA reabrem mercado a carne holandesa

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os EUA vão voltar a importar carne da Holanda, banida desde o surto de BSE (Encefalopatia espongiforme bovina) nos anos 1990. A Comissão Europeia congratula-se, em comunicado, com o levantamento da proibição, que considera ” um passo bem vindo no sentido da reabertura do mercado americano” às importações da Europa.

Depois da Irlanda e da Lituânia, a Holanda é o terceiro país a vencer as barreiras norte-americanas à importação de carne europeia. O comissário para a Saúde e Segurança Alimentar Vytenis Andriukaitis declarou que esta medida corresponde ao “reconhecimento das nossas medidas extensivas e eficazes para erradicar a BSE na Europa. Espero que agora os EUA actuem de forma expedita para alargar esta permissão a todas as importações da União Europeia e apelo aos restantes parceiros da UE que ainda mantêm medidas de restrição às importações para que adoptem as regras reconhecidas internacionalmente” no que toca a casos de epidemias como a que grassou entre os bovinos, com a chamada “doença das vacas loucas”.

“Quando estamos a trabalhar arduamente para construir uma nova parceria [transatlântica] para o comércio e investimento, manter obstáculos antigos e desnecessários não faz sentido. Sinto-me satisfeita por estarmos a avançar na direcção certa e espero que os produtores de carne holandeses possam beneficiar das novas oportunidades de mercado em breve”, acrescentou a comissária europeia para o Comércio, Cecilia Malmström.

Phil Hogan, o comissário da UE para a Agricultura e Desenvolvimento Rural, disse ainda que “abrir o mercado norte-americano possibilita uma saída comercial para os produtos de alta qualidade da UE. A abertura de barreiras técnicas às exportações faz parte da nossa ofensiva diplomática para aumentar as exportações e encontrar novos mercados para os produtores” europeus.

Surgida no Reino Unido na década de 1980, a “doença das vacas loucas” espalhou-se por muitos países da Europa e do mundo devido à utilização de farinhas de origem animal contaminadas, elaboradas a partir dos ossos e restos de animais doentes. Suspeita de ser a causa da variante da doença de Creutzfeldt-Jakob em humanos, a BSE despertou a preocupação dos consumidores e levou a uma grave crise no sector da carne, bem como a embragos regionais. Os produtores de carne de bovinos do resto da União Europeia continuam à espera do final das restrições unilaterais da parte dos Estados Unidos da América.

Agricultura e mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

Após negociações difíceis: quota de pesca do bacalhau para 2022 aumenta 168%

Partilhar              Os pescadores portugueses vão poder capturar até 784 toneladas de bacalhau em 2022, um aumento …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.